terça-feira, outubro 02, 2007

A linha de TGV vai ser alterada por causa de uma alcateia de lobos, de umas pegadas de dinossauro, de uns ninhos de cegonha...

É mentira.... o problema é que a linha de TGV não vai ser mesmo alterada e as povoações de Assanha da Paz e Vale da Paz vão ficar divididas ao meio. O vizinhos vão ser separados à força...
Estão a tentar descobrir se há por ali algumas gravuras ruprestes ou pegadas de dinossauro ou qualquer animal em vias de extinção para os governantes recuem nas suas pretensões...

Já agora, por onde é que andam os ambientalistas?!!!

Os animais, para eles, são mais importantes do que as pessoas?

Confrontados com a proposta de traçado do TGV, os moradores da zona Oeste de Pombal, aperceberam-se de que as povoações de Assanha e Vale da Paz vão ser rasgadas pelo caminho-de-ferro, sem que seja apresentada qualquer alternativa de itinerário. Neste ponto, o troço OTA-Pombal está desenhado de forma a passar em zona habitacional, contemplando uma faixa de 400 metros de largura, que vai dividir a aldeia e, até mesmo, obrigar à demolição de casas.

O presidente da Câmara de Pombal, Narciso Mota, está ao lado da população porque “o poder central apregoa tanto o combate às assimetrias, mas quando avança com estes projectos não se preocupa com as pessoas”. Na sua perspectiva, “O TGV entre Lisboa e Porto não é preciso para nada; preocupem-se é em fazer uma ligação a Espanha”. O autarca defende em que “as linhas do Norte e Oeste sejam modernizadas, justificando os milhões que já foram investidos”. Narciso Mota não entende a razão de avançar com um projecto de TGV que “nem sequer terá condições para alcançar a velocidade cruzeiro acima dos 300 quilómetros por hora”, atendendo às paragens previstas em Leiria, Coimbra e Aveiro, e até mesmo na OTA.
O início de exploração da linha de alta velocidade Lisboa-Porto está agendado para 2015. As últimas estimativas de custos do Governo apontam para um investimento total de 7.100 milhões de euros para o projecto de alta velocidade nas ligações Lisboa-Porto e Lisboa-Madrid.

Com este dinheiro todo, quantas escolas não seriam construidas? Quantos hospitais e centros de saúde não seriam modernizados? Seria necessário fechar escolas, maternidades...?

4 comentários:

  1. Observações sempre oportunas e pertinentes:))) Dá que pensar!!!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. As pessoas podem mudar - dizem.
    É verdade isso mas as gravuras ruprestes ou pegadas de dinossauro também podem ser mudadas.

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida, somos um país pequeno com pretenções de grande , mas falta-nos os alicerces...

    ResponderEliminar
  4. concordo plenamente! e com os 80 milh�es da bas�lica de f�tima quantas casas n�o se podiam fazer para dar aos pobres quanto bem n�o poderia ser distribu�do por quem t�o dele necessita?
    estamos entregues ao demo...



    "O Povo completo ser� aquele que tiver reunido no seu m�ximo todas as qualidades e todos os defeitos. Coragem Portugueses, s� vos faltam as qualidades." como dizia o almada negreiros.

    pe�o desculpa pela repeti�o do coment�rio.

    ResponderEliminar