quarta-feira, junho 28, 2006

NÃO É CURIOSO...

  • Não é curioso como dez euros parece tanto quando vamos à igreja e tão pouco quando vamos ao shopping?
  • Não é curioso como uma hora é tão longa quando servimos a Deus, mas tão curta quando assistimos a um jogo de futebol?
  • Não é curioso como não achamos as palavras quando rezamos, mas elas estão sempre na ponta da língua para conversarmos com um amigo?
  • Não é curioso sentirmos tanto sono ao ler um capítulo da Bíblia, mas é fácil ler 100 páginas do último romance de sucesso?
  • Não é curioso como queremos sempre as cadeiras da frente no teatro, mas sempre nos sentamos no fundo da igreja?
  • Não é curioso como precisamos de duas ou três semanas de antecedência para agendar um compromisso na igreja, mas para outros programas estamos sempre disponíveis?
  • Não é curioso como temos dificuldade em aprender a evangelizar e como é fácil aprender e contar a última novidade?
  • Não curioso como acreditamos nos jornais, mas questionamos a Bíblia?
  • Não é curioso como todo o mundo quer ser salvo desde que não tenha que acreditar, dizer ou fazer nada?
  • Não é curioso como mandamos milhares de piadas pelo e-mail que se espalham como um incêndio, mas quando recebemos mensagens sobre Deus não reenviamos para ninguém?

Lá curioso é…

domingo, junho 25, 2006

Isto é uma vergonha... PROTESTE!

No teatro da comuna está a exibir-se (ou vai exibir-se) uma peça espanhola que se chama "Me cago en Dios" e nos cartazes de promoção aparece uma retrete aonde está a ser lançada uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, um Crucifixo e outros objectos de culto.
Vejam a lista dos patrocinadores (e respectivos endereços electrónicos) e peço que divulguem porque isto é absurdo... não queremos proibir nada, nem coarctar a liberdade de expressão e de arte. Queremos é que não seja o estado, nós, a pagar isto...
Como verão, são quase todos instituições do Estado.
Patrocinadores Ministério da Cultura:
gmc@mc.gov.pt
gsec@mc.gov.pt
infocultura@min-cultura.pt
ffcmc@mail.min-cultura.pt
mcgri@mail.telepac.pt
igacgeral@igac.pt
Centro Cultural de Belém:
ccb@ccb.pt
Instituto das Artes:
geral@iartes.pt
Embaixada de Espanha
Câmara Municipal de LisboaFábrica Valadares:
comercial@valadares.com
joanaulisses@valadares.com
Teatro da Comuna:
teatrocomuna@sapo.pt
Se concordam connosco, divulguem e manifestem indignação.Se discordam, pedimos desculpa pela ousadia e tempo ocupado.
Fonte: http://deus-amor.blogspot.com/

Café cristão é inaugurado na Amora

O Bispo de Setúbal, D. Gilberto Canavarro Reis, marca presença na inauguração do primeiro “Café Cristão” em Portugal, localizado na paróquia da Amora. Uma Eucaristia presidida pelo prelado precede a bênção e inauguração oficial do espaço, na noite deste sábado.
São cerca de 400 metros quadrados, destinados ao convívio e a “comunicar o amor de Deus a cada pessoa que lá vai”.
De Domingo a quinta, o café cristão abre das 16h às 23h, e às sextas e sábados encerra cerca de uma hora mais tarde, devido ao concertos de música ao vivo que estão previstos. Neste espaço poder-se-á encontrar, para além de um serviço de café com cerca de 80 mesas, música, actividades ligadas às artes, dança, teatro, colóquios, e apoio escolar.
Uma capela vai estar ainda à disposição dos jovens “que vão sendo sensibilizados para a fé, de modo a que possam receber o sacramento da reconciliação”.
Fonte: Ecclesia
Que achas da iniciativa?

sexta-feira, junho 23, 2006

Bispos atentos às possibilidades das novas tecnologias

A Igreja Católica em Portugal deve estar pronta a percorrer novas estradas, mesmo as virtuais, para dar a conhecer o Evangelho nos nossos dias. Esta é uma das grandes conclusões das para as Jornadas Pastorais da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), este ano subordinadas ao tema "Deus na Rede, novas tecnologias e evangelização".
Para o presidente da CEP, D. Jorge Ortiga, esta é uma área que merece atenção especial, inserida no programa do organismo episcopal para este triénio ligado à transmissão da fé. Nesse sentido, explica, as Jornadas, como espaço de reflexão, abordaram em 2006 “o novo mundo” dos Media.
A relação entre as novas tecnologias e a evangelização, o impacto global da Internet, experiências de formação e acompanhamento espiritual através dos novos suportes tecnológicos, a profusão do religioso no espaço virtual e a comunidade eclesial em Portugal foram alguns dos assuntos em destaque.
Para D. Jorge Ortiga, foi importante “ter princípios de orientação e recolher algumas sugestões”, adiantando que a partir daqui é preciso perceber qual a incidência desta iniciativa “na vida das nossas dioceses” e da própria Conferência Episcopal Portuguesa.
“Pessoalmente, entendo que esta foi uma iniciativa muito importante, por nos colocar neste novo areópago, quase a obrigar-nos a intensificar o nosso caminho sobre estas novas estradas”, apontou, considerando “consolador” o facto de haver já várias formas de presença católica na Internet, por exemplo.
“Há vários aspectos a considerar nesta presença que Deus e a Igreja já têm na rede, sabendo que temos muito mais que fazer, na transmissão da fé, não tendo medo destas realidades novas”, admite D. Jorge Ortiga.
Um novo capítulo
D. Carlos Azevedo, refere que estas Jornadas permitiram aos Bispos e àqueles que, nas Dioceses, mais directamente colaboram com eles nesta área, perceber que “é possível a Igreja adaptar-se às novas tecnologias e é mais fácil do que muitas pessoas pensam”. “Abriu-se uma página para um novo capítulo na comunicação da Igreja”, assegura. As várias formas de presença da Igreja na Internet devem ser potenciadas.
FONTE: Ecclesia
O que achas da existência de tantos sites e blogs católicos na rede?

quarta-feira, junho 21, 2006

5 regras a ter conta para o NOVO ANO PASTORAL


  1. Aposte em formação de qualidade. Não me refiro a cursinhos formaçoes/deformativas. Cursos de teologia ou equivalente. Aproveite a formação profissional que cada um tem para que se complementem com formação teológica. O caso da música com os curso nacional de liturgia etc..
  2. Crie um pequeno regulamento para cada grupo e que cada elemento ao entrar seja confrontado com o regulamento e com algumas fontes do Magistério que sirvam como ponto de partida. Normalmente as pessoas tendem a querer "participar" sem saber o que lhes pede a Igreja e qual o papel que a Igreja espera delas dentro daquele grupo. Distribua responsabilidades. Delegue mas não totalmente nem imediatamente. Delegue sabedo que é o responsável máximo na paróquia e delegue gradualmente mas de forma clara.
  3. Perca tempo com um cursozinho de gestão. Não queira agir directamente sobre tudo, certamente quem limpa o pó aos bancos da igreja nao é o senhor. Contudo é o senhor que gere. Tente isso com os grupos.
  4. Tanto grupo para que? Reveja se haverá mesmo motivos para tanta desreuniao e fragmentação.
  5. Crie um plano a médio e longo prazo para onde toda a acção convirja. Meta a paróquia a operar mais de dentro para fora que de fora para dentro.

O que te parece este Código. Ajuda-me a acrescentar, tirar ou reformular o Código do Novo Ano de Pastoral...

PRIMEIRO CONTRIBUTO (CA):

  1. Aposte em formação de qualidade: Ajude a todos a rezarem, e a procurarem uma relação pessoal com Deus.
  2. Recorra ao Evangelho para ajudar as pessoas a saber o que lhes pede o Espírito e a Igreja.Distribua responsabilidades: não se esqueça que a obra é de Deus e que o Espírito é derramado sobre todos.Delegue sabedo que é o responsável máximo por servir a paróquia e delegue gradualmente mas de forma clara.
  3. Confie na acção do Espírito. Mas seja organizado.
  4. Tanto grupo para quê? Ajude as pessoas a terem sempre consciencia que são irmãos a trabalhar na mesma obra do Pai.
  5. Ajude a Paróquia a viver um amor que trabsborde de dentro para fora em vez de centrar a vida da paróquia nos assuntos internos.

SEGUNDO CONTRIBUTO (cvj):

  • Responsabilidade e subsidariedade;
  • Compreensão e paciência;
  • Caminhar ao ritmo da gente;
  • Objectivos claros, mesmo que nem todos estejam de acordo;
  • Confiar no E.S., mas não esquecer que ele precisa de um corpo para intervir;
  • Alegria em tudo o que se faz;
  • A palavra de Deus é o guia, a base, e o fundamento de toda a pastoral;

Medo de que o casamento não corra bem?...

Medo de que o casamento não corra bem?...
O amor e o medo não podem andar juntos.
Quem tem medo não entende nada de amor.
Amar é, precisamente, não ter medo.
É acreditar que se possui uma força imensa.
Quem ama sabe que é também possuído e protegido pelo amor.
E que, por isso, caminha noutra altura;
voa por cima dos gelos, dos salpicos das ondas, das pedras aguçadas.
Vai por cima de um mundo muito pequeno,
nas asas de um fogo, em mãos de fadas.

Para pensar...

quarta-feira, junho 14, 2006

Saí muito triste e até revoltada daquela missa....!!!

Isto de ir a missas noutras paróquias, que não a nossa, tem muito que se lhe diga...
Ora acontece que fui recentemente à celebração de uma eucaristia numa outra paróquia e senti como se o Deus que o padre lá da minha paróquia nos dá a conhecer todos os domingos não era o mesmo Deus daquele padre que celebrava aquela eucaristia. (...) Saí daquela missa muito, muito triste, e até um bocado revoltada. Ora ouvir um padre dizer que:
  • quem faltar a uma missa num domingo e morrer durante a semana seguinte, morre em pecado e por isso vai para o Inferno;
  • os homens têm que rezar muito mais que as mulheres porque rezam pouco e são muito mais pecadores que as mulheres. Por isso se não rezarem mais, também vão para o Inferno;
  • os homossexuais são piores que os animais e por isso também vão para o Inferno
  • quem não se confessar uma vez por ano, como manda a Igreja, já sabe, não tem salvação possível: direitinho para o Inferno;com certeza não deixa ninguém indiferente.

Ouvi tantas vezes falar no Inferno que quase que parecia que estava ali mesmo à nossa espera, à saída da missa. (...) saí muito triste daquela missa e muito mais perturbada do que quando lá entrei. E isso eu sei que não deve ser assim, pelo menos para mim. E tive tantas saudades da missa lá da minha paróquia...

Fonte: http://connosco.blogspot.com/

Qual a tua opinião? Quem é importante o padre ou Jesus Cristo?

terça-feira, junho 13, 2006

O NOVO BISPO DE VISEU É NATURAL DA DIOCESE DE VISEU!!!

"Convosco, por Cristo, para Todos
O Bispo de Viseu não é quem todos esperávamos. Eu não sou quem, certamente, desejáveis. Sou o Pe. Ilídio Pinto Leandro, ordenado sacerdote em 25 de Dezembro de 1973, alguém pecador e muito pobre, em relação à tradição e à grandeza desta nossa Diocese e, sobretudo, em relação ao meu querido antecessor e nosso amado Bispo, o Senhor D. António Augusto dos Santos Marto.
Foi com a maior surpresa e com enorme admiração que recebi a informação da minha escolha para Bispo e, logo, desta minha e nossa querida diocese de Viseu. Senti alguma força e muito conforto no lema que, de repente, me veio ao coração: Convosco, por Cristo, para Todos.
De facto, é mesmo isto que eu vou procurar viver no ministério episcopal que o Santo Padre me confiou: sou um de entre vós e quero estar, viver e caminhar convosco e, para isto, quero contar com todos vós; nesta vida e neste caminho a percorrer em comum, quero que tudo seja por Cristo e fazer tudo somente n’Ele e com Ele; para me dirigir a todos, sem qualquer distinção de idade, de credo, de sexo ou de cultura."
  • Que achas de um Bispo ser natural da sua Diocese?
  • Que achas de não ter sido Auxiliar de Braga, Lisboa ou Porto?
  • O que pensas do método de escolha dos novos bispos? Quem escolhe? Quais e como?

terça-feira, junho 06, 2006

Igreja Católica é a organização não-governamental mais comprometida na luta contra aids

Um em cada quatro portadores de AIDS é atendido no mundo por um centro católico, segundo pôde comprovar-se na Reunião de Alto Nível sobre esta pandemia celebrada pela Assembléia Geral das Nações Unidas de 31 de maio a 2 de junho.
No encontro tomou a palavra, em representação da Santa Sé, o cardeal Javier Lozano Barragán, presidente do Conselho Pontifício para a Pastoral no Campo da Saúde, que ilustrou também a obra de prevenção que a Igreja promove, baseada «na informação e na educação de condutas dirigidas a evitar a pandemia».
O purpurado mexicano começou sua intervenção para transmitir a saudação à assembléia de Bento XVI «a todos os que estão empenhados na luta contra a AIDS».
«O Papa abriga uma preocupação pelo avanço da pandemia e garante a continuidade e o aumento do trabalho que a Igreja Católica leva a cabo para frear esta desgraça», assegurou o cardeal. Ao explicar com números a acção da Igreja neste campo, revelou que «26.7% dos centros no mundo para tratar enfermos de AIDS estão dentro da Igreja Católica». Esse trabalho implica, declarou, «a capacitação de profissionais da saúde, prevenção, cuidado, assistência e acompanhamento tanto dos doentes como de suas famílias».
Esta presença sobre o terreno acontece graças às diferentes instituições católicas.
Em concreto, explicou que Caritas Internacional está comprometida com isso em 102 países. Desta forma, ilustrou o trabalho que oferecem as congregações religiosas e as associações internacionais como «as Vicentinas, Comunidade de Santo Egídio, Camilianos, Joaninos, Jesuítas, religiosas da Madre Teresa, o Hospital do Menino Jesus da Santa Sé e os Farmacêuticos católicos».
Ao falar da prevenção, explicou que «somos conscientes de que o papel da família no campo da formação e da educação é indispensável e eficaz». «A educação e a informação são dadas também através de documentos, conferências e intercâmbios de experiências e práticas», constatou.
«Para o cuidado e assistência dos doentes, acentuamos a capacitação de médicos e pessoal paramédico, de capelães e voluntários; combatemos o estigma, facilitamos o diagnóstico, o “counselling” e a Reconciliação. Provemos os antibióticos, os medicamentos para evitar a transmissão vertical materno filial e o contágio sanguíneo», informou.
«No ramo da atenção e do acompanhamento ao doente, evitamos os contágios, atendemos órfãos e viúvas, presos, ajudamos na reintegração social desses doentes e colaboramos com os Governos e demais Instituições que se ocupam da pandemia, tanto no âmbito ecumênico como no civil», disse.
Por último, informou que a Santa Sé, por vontade de João Paulo II, lançou uma iniciativa para ajudar economicamente os portadores de AIDS, a Fundação «o Bom Samaritano».
«Até hoje, facilitamos antibióticos a 18 países – explicou o cardeal Lozano: 13 da África, 3 da América e 2 da Ásia. Nesses países, distribuímos o dinheiro recebido de católicos de 19 países, tanto da própria África, como da América, da Ásia e da Europa».
Fonte: Zenit
Porque é que nunca se destaca isto nos noticiários?