quinta-feira, maio 31, 2007

Mensagens de falecido transmitidas num monitor «LCD»

Foi hoje inaugurada na Holanda a primeira campa com uma funcionalidade digital. Trata-se de um «LCD» onde se pode visionar uma galeria de fotos ou vídeos com mensagens da pessoa desaparecida.

Esta campa foi colocada no cemitério de Larikshof, em Rhenen, e a funcionalidade digital só pode ser accionada pelos familiares através de uma bateria especial.

O ecrã onde se vê as imagens é suficientemente resistente a condições meteorológicas adversas.

Não é um modelo final. Está em avaliação o volume áudio. Uma das possibilidades em estudo é o som ser ouvido através de auscultadores sem fios.

O inventor desta campa é Henk Rozema, de nacionalidade holandesa

São os The Zimmers, tem todos mais de 100 anos



Com a versão do tema dos The Who, os The Zimmers pretendem alertar para o abandono a que estão votados milhões de reformados britânicos (3,5 milhões vivem sem qualquer companhia).

Alf, o vocalista, um reformado de 90 anos não teve problemas em cantar "I hope i die before i get old" ("espero morrer antes de chegar a velho").

Como são tratados os idosos em Portugal?

quarta-feira, maio 30, 2007

Endemol cria 'reality show' para a doação de rim

Lisa tem 37 anos e sofre de uma doença terminal. Lisa vai escolher, entre três pessoas com doença renal, aquela que merece receber o seu rim, para ser transplantada e, assim, sobreviver à doença. Tudo vai acontecer no novo reality show criado pela Endemol e que deverá ir para o ar na próxima sexta-feira no canal holandês BNN, contra todas as críticas que tem recebido da comunidade médica e da classe política local e além-fronteiras.

A escolha será feita com base em conversas com familiares e na análise do perfil dos doentes (cuja cara e identidade nunca é revelada). Os telespectadores também terão uma palavra a dizer, não fosse este programa de entretenimento um reality show, que terá o nome de O Grande Show do Doador. O voto do público faz-se por SMS durante os 80 minutos do programa. Mas a decisão final cabe à doadora.

O formato está a chocar a Holanda. "Isto é uma ideia de loucos", reagiu à BBC o democrata-cristão Joop Atsma, considerando "inconcebível que se vote quem é que vai receber um rim". Às críticas, o director da BNN (cujo fundador morreu de doença renal) responde que o programa servirá para chamar a atenção para a falta de órgãos para doação na Holanda.

Os argumentos não convencem os críticos. John Feehally, até há pouco presidente da Associação Renal do Reino Unido, condenou o programa: "o cenário apresentado é eticamente inaceitável", disse que "o formato do o programa não tem qualquer tipo de relação com a forma como os transplantes são feitos no mundo real".

Os críticos ingleses de televisão vieram avisar que a BNN e a Endemol estão a dar um "passo longe de mais" e sustentaram que tal formato seria "impensável" em Inglaterra.
Fonte: DN

segunda-feira, maio 28, 2007

Clericus Cup chegou ao fim

O Redemptoris Mater é o primeiro vencedor da Clericus Cup, depois de ter vencido este sábado a Universidade Pontifícia de Latrão por 1-0. O golo que decidiu o título resultou de um penalty, não sem alguma polémica, e pôs fim a quatro meses de competição.

Cerca de 300 pessoas acompanharam o jogo, no campo sintético do oratório de São Pedro. Os neocatecumenais do Redemptoris Mater conseguiram disputar todos os jogos desta liga inédita sem sofrerem um único golo.


Este Mundial em batina para os inscritos em Colégios, Universidades e Seminários Pontifícios da região romana, com organização do Centro Desportivo Italiano (CSI), viu passar pelos seus 58 jogos representantes de 51 países. Para além dos 256 golos marcados, registaram-se 4 expulsões por cartão vermelho e outras duas, temporárias, por cartão azul.

Fonte: ecclesia

sábado, maio 26, 2007

40.000 refugiados congoleses voltam para casa graças a Caritas

Em um programa da organização local apoiada por Caritas Espanha

A Caritas nacional da República Democrática do Congo pôs em andamento na região de Mahagi-Nyoka um programa de retorno aos seus lugares de origem para oito mil famílias de refugiados (aproximadamente 40.000 pessoas). A vigência estimada do plano é de quatro meses.

Este projecto de assistência humanitária -- apoiado pela Caritas Espanhola, que vai destinar ao mesmo 100.000 euros procedentes da Campanha «Caritas com os Grandes Lagos» -- inscreve-se no marco da estratégia da Cáritas Congo de apoiar os movimentos de retorno da população local a seus lugares de origem.

O retorno se está produzindo a partir do processo de paz que se abriu após as eleições presidenciais e a progressiva consolidação das condições de segurança em muitas áreas do país.

O trabalho da Caritas vai se centralizar principalmente na distribuição de produtos não-alimentícios de primeira necessidade aos refugiados (produtos domésticos, cobertores, produtos higiênicos e roupas), de maneira similar a como se procedeu em outras intervenções desse tipo, como as levadas a cabo nas regiões de Kivi e de Katanga.
Quando toda a gente se esqueceu deles, a Igreja continua a fazer o seu trabalho...

quinta-feira, maio 24, 2007

"Para Jesus todos são VIP" - o bispo Anthony Fisher

Um encontro com Jesus Ressuscitado, que ama as pessoas de toda classe e condição: é a proposta deste mês, em tempo pascal, para os jovens que já peregrinam «virtualmente» para Sydney (Austrália), onde se celebrará a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em 2008.

A e-PEREGRINAÇÃO («e-PILGRIMAGE») ou peregrinação «on-line» é um instrumento completamente novo nas JMJ para chegar aos jovens peregrinos e prepará-los para esse grande encontro de fé e festa com o Papa.

Com uma imagem totalmente renovada e muito dinâmica, o boletim de maio preparado pela organização da JMJ 2008 para esta experiência de e-PEREGRINAÇÃO se centraliza nesta ocasião em um versículo do Evangelho de João (21, 12): o convite de Jesus Ressuscitado, em sua terceira aparição a deus discípulos, «Vinde e comei».

Jesus «dá-nos de comer»; «a pessoa percebe de que para Jesus não há nenhum ‘João ninguém’. Ele ama as pessoas de todo tipo e para Ele todos são VIP!», escreve o bispo Anthony Fisher O.P. - coordenador do evento.

No tema da Ressurreição é aprofundado na seção «Fundamentos de fé» : «A ressurreição corporal de Jesus era tão importante para os evangelistas, que quase todos os episódios que a narram mostram a dimensão física do encontro que Ele teve com seus discípulos», «Ele convidou-os a tocar as suas feridas gloriosas, comeu com eles, eles abraçaram-no».

«A fé na ressurreição de Jesus é central para a fé cristã e expressa-se nos Evangelhos como o cume da revelação de Jesus como o Filho de Deus feito Carne».


«Só Cristo ressuscitado pode levar-nos para cima, até a união com Deus, até onde não podem chegar nossas forças. Ele carrega verdadeiramente a ovelha perdida sobre seus ombros e a leva para casa» Bento XVI.


O boletim de maio de e-PEREGRINAÇÃO, titulado «Vinde e comei» (Jo 21, 12), pode ser baixado em formato «pdf» aqui

Visita o site da JMJ 2008.

segunda-feira, maio 21, 2007

Não é possível deixar crianças sozinhas frente aos meios de comunicação

  • «As crianças e os meios de comunicação social: um desafio para a educação».
  • «O Santo Padre recorda que as crianças não estão a sós, não devem estar a sós ante os estímulos tão atractivos que recebem dos meios e que às vezes as leva a confundir a realidade com a ficção.
  • «Em primeiro lugar os pais, mas também a comunidade paroquial e diocesana, assim como os professores, devem compreender as linguagens da mídia para ser eles mesmos selectivos, e poder acompanhar e ajudar as crianças de forma que saibam discernir e escolher progressivamente com acerto quais mensagens, quais programas, quais videogames são bons para a sua formação.»
  • «O objectivo de tudo isso é que os pequenos não sejam arrastados por temáticas e enfoques empobrecedores e enganosos que, sob a aparente bandeira da liberdade, os lançam a uma busca insaciável de novidade, que com o tempo os deteriora e deprime».
  • «Trata-se de que aprendam a escolher por si mesmos aqueles que os constroem e os fazem crescer no bem e na alegria: ‘A beleza, que é como um espelho do divino, inspira e vivifica os corações e mentes jovens, enquanto a fealdade e a futilidade têm um impacto deprimente nas atitudes e comportamentos’».
  • «Compreendendo que às vezes os operadores dos meios se vêem submetidos a intensas pressões comerciais -- explica a Santa Sé --, contudo exorta a eles e aos produtores ‘a salvaguardar o bem comum, a preservar a verdade, a proteger a dignidade humana individual e a promover o respeito pelas necessidades da família’.»

Fonte: Zenit

domingo, maio 20, 2007

Papa sublinha dignidade do casamento

Bento XVI defendeu hoje que a Igreja tem o dever de lembrar a "dignidade e a beleza do sacramento do casamento", em especial junto dos mais jovens, para os ajudar a "vencer o medo de fazer uma escolha definitiva".

Ao receber, os Bispos do Mali, na sua visita "ad limina", o Papa comentou os relatórios dos prelados, que "mostram que a pastoral do matrimónio é uma preocupação notável na vida das vossas dioceses". "Quando o número de casamentos cristão se torna relativamente fraco, é dever da Igreja ajudar os baptizados, especialmente os jovens, a compreenderem a beleza e a dignidade deste sacramento na existência cristã".

Segundo Bento XVI, "para responder ao medo manifestado, com frequência, diante do carácter definitivo do casamento", é necessária "uma sólida preparação, com a colaboração de especialistas".
Fonte: Ecclesia.
Todos sabemos o que é que a Igreja defende, qual a sua doutrina sobre o casamento católico (fidelidade, perpetuidade e amor mutuo).
Já agora a Igreja não anula nenhum casamento, para a Igreja não há divorcio. A Igreja apenas declara a nulidade (o acto não foi válido, "não existiu") porque uma das partes não assumiu os compromissos próprios de quem quer receber o sacramento do matrimónio. Ninguém é obrigado a casar pela Igreja, mas que o faz...
Pelos comentários do post anterior, já sabemos o que é que alguns não defendem, o que não consigo perceber é o que defendem para a família, para a sociedade... ou estão a pensar que as familias monoparentais tem de ter mais direitos do que as famílias ditas tradicionais...
Digam lá algo de positivo, nós vamos...

quinta-feira, maio 17, 2007

Matrimónios tem diminuído em Portugal - Divórcio: Um por cada dois casamentos

O número de matrimónios tem diminuído em Portugal e o de divorciados é cada vez maior. Tendência deve manter-se, apesar de o divórcio a pedido não ter passado na Assembleia da República.

Metade dos casamentos em Portugal acaba em divórcio. Essa é a realidade crua ditada pelas estatísticas do INE – Instituto Nacional de Estatística, segundo os dados oficiais mais recentes que registaram 48 671 novos casais em 2005, enquanto os que se divorciaram, nesse mesmo ano, foram 22 853.
A juntar a esses factos verifica-se uma diminuição contínua e progressiva do número de casamentos nos últimos anos, enquanto que, pelo contrário, o número de separações oficiais aumenta proporcionalmente.
Em 15 anos (de 1990 a 2005) celebraram-se menos 22 983 casamentos no nosso país, enquanto nesse período houve um aumento de 13 637 divórcios, passando dos 9216 divórcios para os 22 853.
Uma dissolução mais fácil do casamento, defendida ontem pelo Bloco de Esquerda (DIVÓRCIOS NA HORA), constitui não só uma facadinha mortal no matrimónio como também representa um falhanço para a família, com consequências sérias e prejudicais na educação e formação dos filhos. Essa é a convicção de Fernando Castro, presidente da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas. “Essa ideia [obter o divórcio sem motivo] é tão disparatada como abolir o controlo de álcool nas estradas ou permitir andar em contramão nas auto-estradas.”
Fonte: correio da manhã.
O QUE É QUE ESTE SENHORES TEM FEITO PELAS FAMÍLIAS, PELOS CASAIS, PELO MATRIMÓNIO, PELA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DOS FILHOS?
Gostam de aparecer como modernos. Mas moderno não é defender a facilitação do divórcio, mas motivar os cidadãos a assumirem os compromissos que assumiram, a respeitarem e a pensarem no futuro dos filhos...
Já agora porque não demitir alguns deputados na hora?

50 declarações de nulidade de casamentos católicos por ano

Entre Janeiro de 2000 e Dezembro de 2005 foram declarados nulos em Portugal cerca de 300 casamentos católicos, o que dá uma média de 50 por ano. Mais de 95 por cento dos pedidos de nulidade partiu de mulheres e só numa dezena de casos o marido foi o acusador.
O tempo médio de duração de um processo de nulidade de matrimónio, desde a entrada num Tribunal Eclesiástico de Primeira Instância até à sentença final, é de dois anos e meio.

A Igreja Católica admite a nulidade do casamento em três circunstâncias:
  • quando não se verifica a sua consumação, ou seja, quando não houve relações sexuais (um por cento dos casos);
  • quando um dos cônjuges revela defeitos físicos ou perturbações psíquicas que impeçam o casal do cabal cumprimento dos compromissos matrimoniais;
  • ou quando se descobre vícios graves ocultados durante o período de namoro, como droga, álcool ou jogo.

A razão pela qual um católico opta pela nulidade do casamento é porque, ao contrário do que sucede no divórcio, não ‘vive em pecado’. Contudo, a nulidade não tem os mesmos pressupostos da anulação (divórcio), uma vez que tem de existir um vício de forma anterior ao matrimónio, quadro que exclui o adultério.

Refira-se que a nulidade de casamento obtida nos tribunais da Igreja tem validade civil, ou seja, no bilhete de identidade o estado civil é alterado de casado(a) para solteiro(a).

Fonte: Correio da Manhã

O celibato é ou não uma vocação?

Hoje, estou convencido, que há mais vocações sacerdotais do que celibatárias.
Hoje, muitos jovens aceitam a disciplina do celibato sem vocação, porque a vocação sacerdotal é mais forte. Alguns destes jovens, acabam por casar, porque a Igreja exige-lhes que sejam celibatários. Outros, apesar de não viverem bem com isso, continuam a exercer o sacerdócio. Se calhar, esses jovens sem vocação ao celibato, deviam todos renunciar à vocação sacerdotal.

Eis a questão de fundo:
se Deus chama muitos jovens ao sacerdócio sem os chamar ao celibato, porque é que a Igreja Latina (no Oriente não é assim) continua a impor disciplinarmente o celibato?
Aquilo que devia ser um grande valor e um grande sinal para a sociedade de hoje, corre o risco, por via da imposição disciplinar a quem não tem vocação para tal, de se tornar num jugo pesado e deixa de ser um sinal de Deus.
Gostava de ouvir a vossa opinião?
------
Uma das opiniões:


"Como dizia o outro: "eu sou do tempo"...em que se era quase excomungado se ousasse discutir este tema em público e às claras!...O celibato era indiscutível... era impensável pensar doutra maneira...seria uma catástrofe imaginar que os padres pudessem casar e serem sacerdotes ao mesmo tempo...era o mesmo que tentar juntar o azeite e o vinagre.


Os padres...devem ser castos...logo não podem nem devem casar...porque o casamento, lá no fundo, era qualquer coisa de impuro, por natureza!...o casamento "distraia" o padre do serviço da igreja...roubava-lhe disponibilidade...complicava-lhe a vida...e por aí fora.


Porquê? Porque se construiu a ideia de que ser sacerdote era uma missão transcendente à normalidade das coisas reais...era assim como ter de ser um bombeiro sempre em acção, pronto a apagar fogos...ou um soldado sempre em guerra...para quem a família só estorva...

Ou seja: onde deveria imperar a normalidade da natureza, erigiu-se uma "ideia-força" criou-se um arquétipo sacrossanto abstracto, afastado do chão, impôs-se como uma realidade incontornável e...implantou-se de estaca...na terra. Claro que essa planta artificial...pegou e ao cabo de séculos...impôs-se como não podendo deixar de ser assim...

Ora, sabemos que as coisas não tiveram o mesmo desenvolvimento na Igreja do Oriente. Aí, manteve-se aquilo que brota da natureza das coisas. É como casado que o sacerdote exerce o seu múnus...em toda a extensão. E mais. Enriquecido pela riqueza do casamento. Com uma família à sua volta e na sua dependência. O resultado é de perfeita harmonia e conjugação. O padre não vive numa estratoesfera...não perde o sentido das realidades...não se estonteia com as alturas como infelizmente vemos como foi, no passado e muito, ainda no presente.

O apregoado "trunfo" do celibato não tem razão de ser, como condição sine qua non...Com o tempo, lentamente, tudo entraria na normalidade, se aquele deixasse de ser imposto...Acho que seria uma "revolução" pacífica e muito frutuosa...para a Igreja.".

terça-feira, maio 15, 2007

Evangelizar exige recorrer aos meios de comunicação, assegura Bento XVI

Ao apresentar uma «nova etapa» missionária à Igreja na América Latina, Bento XVI assegurou que «não se pode limitar-se só às homilias, conferências, cursos de Bíblicos ou teológicos, mas deve-se recorrer também aos meios de comunicação».

Em concreto, mencionou «imprensa, rádio e televisão, sites da internet, foros e tantos outros sistemas para comunicar eficazmente a mensagem de Cristo a um grande número de pessoas».

Letícia Soberón, considera que «o Santo Padre pôs o acento em um tema crucial de nossos dias: as novas linguagens e os espaços inevitáveis para a missão».

«É providencial que a Igreja da América Latina conte agora com mais meios que nunca para dialogar com o mundo, oferecer sua mensagem e criar espaços de encontro e comunhão: edita inumeráveis jornais e revistas, está presente no âmbito popular com uma rede de rádios católicas e educativas muito articulada e capilar, são criadas cada vez mais emissoras de televisão e uma crescente quantidade de sites católicos», acrescenta Letícia Soberón.

Segundo Soberón, «o Papa Bento XVI assinala que ‘não se deve limitar-se às homilias’, pois sabe que as crianças e jovens já pensam e elaboram as suas decisões não com base em um discurso oral, mas sobretudo em outras linguagens, que incluem música e imagem».

«Estão influenciados por um clima mediático muito denso, no qual a voz de Cristo deve ser ouvida de forma clara e diáfana, nos espaços onde eles participam e nas categorias que eles entendem», sublinha.

«Este é um grande desafio para a Igreja de nosso tempo, mas como disse, há anos que se vem preparando e abrindo esses espaços. O Papa foi muito claro e corresponde a todos ser dóceis à sua indicação», conclui.


Fonte: Zenit

segunda-feira, maio 14, 2007

Evangelização e caridade não podem separar-se

"Os valores do amor e da justiça que são apresentados pelo Evangelho e pelo anúncio da Igreja ajudam a quem se compromete também em criar estruturas de carácter social, económico e político a avançar para uma justiça cada vez melhor, a encontrar na realidade da história soluções que sejam racionais, correctas, que levem verdadeiramente em conta o ser humano na sua totalidade".

"Se a Igreja começasse a transformar-se directamente em sujeito político, não faria mais pelos pobres e pela justiça, mas, pelo contrário, faria menos, porque perderia a sua independência e a sua autoridade moral, identificando-se com uma única via política e com posições parciais questionáveis".

"A Missa dominical, centro da vida cristã. Temos que motivar os cristãos a que participem nela activamente e, se é possível, melhor com a família. A participação dos pais com os seus filhos na celebração eucarística dominical é uma pedagogia eficaz para comunicar a fé e um estreito vínculo que mantém a unidade entre eles. O Domingo tem significado, ao longo da história da Igreja, o momento privilegiado do encontro das comunidades com o Senhor ressuscitado".


Bento XVI no Brasil

domingo, maio 13, 2007

Á procura de milagres...

Quantos católicos encontram a "sua" forma de estar com Deus.

Será isso que Deus espera de nós?

Muitos dos que hoje foram a Fátima espero que não tenha ido apenas à procura de milagres... espero que regressem à sua família, à sua paróquia, ao seu emprego mais cheios de Deus, a transbordar... porque, se não, temo que não seja muito diferente do que ir a uma qualquer destas "concentrações de fé".

Ser cristão, ser católico, ir a Fátima é muito mais do participar numa "tarde de milagres" onde se prestam serviços à medida de cada um: olho grande, cofre aberto ...

Se as 500.000 pessoas que estiveram hoje em Fátima viessem cheias de Deus para as suas terras acredito que poderíamos esperar algo muito, muito bom...

sábado, maio 12, 2007

Não adores nunca ninguém mais do que a Deus

Estamos no mês de Maria.
São muitos os peregrinos que estão a caminho de Fátima.
Rezemos por eles.

Há, no entanto, uma questão que não deve ser esquecida. Maria dá-nos um exemplo magnífico com a sua mansidão, humildade e generosidade, mas não nos podemos esquecer que, como diz o primeiro mandamento: "Adorar apenas a Deus". A própria Maria disse nas Bodas de Canaa: "Fazei tudo o que Ele vos disser". Ela intercede por nós e dá-nos um bom exemplo de como se deve dizer "sim" a Deus Pai, mas não é Deus. Sem Ele não consegue fazer nada. Os milagres são de Deus. Maria apenas intercede. Aliás, quem diz Maria, diz também todos os santos.

Não pensem que estou a menosprezar Nossa Senhora e os santos. Não!
Como disse, ela é um óptimo exemplo para seguirmos o caminho de Jesus Cristo. Só chamo a atenção para esta questão, porque vejo muitas pessoas - muitas por desconhecimento das Escrituras, outras de forma inconsciente - que louvam mais Maria do que Jesus, tratando-a como se fosse Deus Pai.
O mesmo acontece com os santos.
As pessoas agradecem a Maria e aos santos por terem alcançado determinada graça, mas esquecem-se que o agradecimento também deve ser dado a Deus Pai. Afinal, Ele é que ouviu as suas intercessões e foi quem nos deu a graça.
Por que razão há-de ser esquecido?

Olhemos para Maria e para os santos como os nossos ajudantes e os ajudantes de Deus. Eles próprios assim o diziam, por palavras e acções. Não os estamos a reduzir ou a menosprezar por o fazermos. Estamos apenas a seguir a vontade de Deus Pai: "Adorar apenas a Deus!"
Fonte: Raízes

Bento XVI no Brasil

“O mundo precisa de vidas limpas, de almas claras, de inteligências simples que rejeitem ser consideradas criaturas objecto de prazer”.

“É preciso dizer não aos meios de comunicação social que ridicularizam a santidade do matrimónio e a virgindade antes do casamento”.

sexta-feira, maio 11, 2007

Seitas colocam «sérios interrogantes à Igreja». Quais?

A expansão das seitas na América Latina coloca «sérios interrogantes à Igreja», considera o cardeal Tarcisio Bertone.

«Infelizmente, o fenômeno das seitas aflige não só o continente latino-americano, também afeta o Norte da América e a Europa».
«A Igreja é chamada, como disse o Senhor e como nos repete o Evangelho, a um contínuo processo de conversão a Deus, é um processo de purificação e de renovação».

«O abandono de uma parte notável do povo de Deus da Igreja Católica por parte de pessoas que saem a buscar outras comunidades nas quais esperam satisfazer sua busca religiosa ou uma sede de espírito de família, de espírito de comunidade, propõe sérias questões à Igreja.»

É urgente «verificar a qualidade da obra de evangelização, da educação na fé e da edificação das comunidades».

«Aos bispos e os sacerdotes que propõem o problema alerto-os para a necessaria capacidade de acolhimento e de escuta das pessoas». «Portanto, trata-se de estar perto das pessoas, de sermos acolhedores, como ensinaram os grandes e santos bispos, como nos mostrou o Papa João Paulo II na sua autobiografia, quando diz: ‘Tentei e tento ser acolhedor, estar próximo das pessoas’, e como nos ensina o Papa Bento XVI com a sua capacidade de escuta, de proximidade.»

«As pessoas que o encontram, ainda que só seja por um momento durante as audiências, se sentem transfiguradas porque têm quase a percepção de serem tratadas como um amigo, pareceria que é um encontro entre velhos amigos.»

«Isso é algo muito belo, é um ensinamento. Parece-me que é também um meio simples, mas eficaz, para impedir este êxodo de nossos cristãos católicos», conclui.

quinta-feira, maio 10, 2007

Brincar não é pecado - penso eu!!!

As pessoas que levam a vida na brincadeira não são necessariamente, as mais irresponsáveis, felizes e inconscientes.

Provavelmente, até serão muito mais conscientes do que muita gente com ar muito credível! Quando vejo gente muito "direitinha" fico desconfiado. Penso -não sei se erradamente - que essas pessoas mais cedo ou mais tarde, quando menos se esperar, vão dar uma cambalhota.

Até acho que os que levam a vida a brincar talvez, estejam mais atentos ao caricato e ridículo da vida. A consciência das misérias, fraquezas, debilidades do homem é que o fazem "gozar" com quase tudo.

Não lhes interessa a opinião dos outros acerca deles.
Aliás, convém até que muitos nem o apreciem.
Não são pessoas politicamente correctas.
Não estão atadas ao clientelismo.
Por isso, são muito melhor como pessoas.
Não "espetam facas nas costas";
Dizem mais facilmente aquilo que pensam, porque muitos nem topam a verdadeira mensagem...
Quem leva a rir, tem garantidamente a eternidade...

terça-feira, maio 08, 2007

Igreja usa quadrinhos Mangá na Inglaterra para propor vida consagrada a jovens

Na Inglaterra e Gales aumentaram as vocações nos últimos quatro anos

Pela primeira vez, a Igreja Católica na Inglaterra e Gales usou quadrinhos Mangá para seus cartazes da campanha vocacional. Ao mesmo tempo, anunciou que nos últimos quatro anos aumentou o número das vocações sacerdotais.

Tanto jovens como adultos estão sendo chamados à vida religiosa e ao sacerdócio ainda hoje, disse a Sala de Vocações da Igreja Católica na Inglaterra e Gales.

No momento de lançar sua campanha anual para chamar a atenção sobre o sacerdócio e a vida religiosa, em 29 de abril passado, tornou públicos dados estatísticos que mostram o aumento nos últimos quatro anos do número de pessoas que escolhem o sacerdócio.

A Igreja entrou também em um novo território usando personagens de quadrinhos do estilo japonês Mangá para seus novos cartazes, representando o sacerdócio e a vida religiosa. O objectivo é atrair especialmente o público adolescente e dos vinte anos.

«Desejamos que os jovens pensem que isso poderia ser para eles nos próximos anos», disse o Pe. Paulo Embery.

O cartaz foi enviado a aproximadamente a cinco mil igrejas, colégios e capelanias de todo o país. Em 29 de abril passado, dia das Vocações, lançou-se também um site dedicado a apresentar as vocações perfiladas no pôster.

No desenho, os visitantes podem ver em detalhe as vidas de cada um dos cinco personagens Mangá, que não são fictícios, mas pessoas reais, com histórias reais para contar. Poderão aproximar-se dos testemunhos de um sacerdote, duas religiosas, um monge e um irmão leigo.

«Os desenhos, especialmente os de estilo Mangá, são um bom meio para chegar às pessoas jovens, inclusive maiores de 25 anos -- diz o Pe. Emberry. Queremos que haja mais jovens que pensem no chamado ao sacerdócio ou à vida religiosa, reconhecendo ao mesmo tempo que há muita gente que se compromete mais tarde. Temos uma política que inclui ambas possibilidades, pois reconhecemos que os candidatos adultos trazem diferentes experiências

As estatísticas que os bispos católicos examinarão na sua conferência anual evidenciam um novo aumento do número de pessoas que escolheram o sacerdócio na Inglaterra e Gales no ano passado. Este é o quarto ano consecutivo em que aumenta o número daqueles que ingressam no seminário. Em 2003, foram 28 pessoas; no ano passado o número subiu para 44 novos seminaristas.

segunda-feira, maio 07, 2007

Igreja mais atenta ao desporto

O desporto "está em casa" na Igreja. Este é o tema que motiva os trabalho do seminário de estudo promovido, em Roma, pelo Centro Desportivo Italiano (CSI), responsável pela realização da já célebre Clericus Cup.

Este torneio de futebol de 11 com padres e seminaristas das Universidades, Colégios, Conventos e Seminários Pontifícios reúne 311 participantes, de 50 países dos cinco continentes.

O mesmo Cardeal que deu o pontapé de saída da Clericus Cup, D. Pio Laghi, disse hoje que "o desporto educa e permite manter o equilíbrio da pessoa".

Para o prefeito emérito da Congregação para a Educação Católica, foi muito importante a criação, em 2004, da secção "Igreja e desporto", dentro do Conselho Pontifício para os Leigos.

O Cardeal Laghi sublinhou ainda que "a Clericus Cup, que está a decorrer em Roma, permitiu mostrar um novo rosto do mundo clerical, dos 14 mil seminaristas e estudantes de Teologia, Sagrada Escritura e Direito Canónico presentes na capital" italiana.

Já o Pe. Kevin Lixey, director da secção "Igreja e desporto", lembrou o momento em que foi apresentado a João Paulo II, para quem o desporto "era uma fronteira da nova evangelização".
Fonte: ecclesia