segunda-feira, abril 27, 2009

S. Nuno de Santa Maria: o verdadeiro herói da LIBERDADE

O traço de carácter que melhor define D. Nuno Alvares Pereira é a LIBERDADE.
  • A LIBERDADE de Portugal face a Castela;
  • A LIBERDADE face às riquezas e às honras;
  • A LIBERDADE perante o perigo;
  • A LIBERDADE perante a intriga;
  • A LIBERDADE até perante as inimizades.

S. Nuno foi herói e santo porque sempre foi um homem radicalmente livre. A sua santidade foi até reconhecida pelos adversários. É esta liberdade que precisamos hoje! Passados 35 anos e mergulhados numa profunda crise será que encontraremos algum herói como SÃO NUNO DE SANTA MARIA!

PS: Onde estiveram ontem os paladinos da liberdade?! Ficaram em casa...!!!

sábado, abril 25, 2009

O ideal de Abril

Hoje, Portugal continua ser um país muito injusto.
As assimetrias entre o litoral e o interior são mais que muitas.
O desnível entre classes é aflitivo.
A disparidade de salários é chocante.
Um país injusto é um país livre?

O desenvolvimento é, sobretudo, abrir oportunidades.
Que desenvolvimento há num país onde o salário médio é tão baixo, onde as listas de espera na saúde são tão extensas, onde ainda há pessoas que não sabem ler, onde o consumo de jornais e de livros é tão reduzido?

O ideal de Abril é belo, é cristão.
Não o deixemos amordaçar.
Nem adiar.

segunda-feira, abril 20, 2009

O que é a Castidade?

A teologia do corpo para jovens

Preservativo: o «mito» do sexo seguro

En Yaundé, Camerún, en 1993, se celebró la VII Reunión Internacional sobre el SIDA con expertos médicos y sanitarios. Fue una reunión en la que participaban unos trescientos congresistas y, se distribuyó al final, un cuestionario para que se indicase, entre otras cosas, si se había tenido relaciones sexuales durante los tres días que duró la reunión con personas que no fuesen pareja estable. De los encuestados, el 28% contestó que sí, y de estos, una tercera parte dijo que no había tomado "precauciones" alguna para evitar contagios. Si esto ocurre entre personas "concienciadas", ¿qué ocurrirá entre la base del pueblo?. ¿A qué fueron a Camerún?, ¿a hacer turismo sexual?, ¿a llevar el SIDA a Camerún, o a llevarse el SIDA del Camerún?.

sábado, abril 18, 2009

S. Nuno de Santa Maria

Aproxima-se a canonização do Santo Condestável. A sua é uma vida heróica e é reconhecida pela extensão da sua intercessão a toda a Igreja.
O grupo contestatário do costume fez ouvir a sua voz, amplificada por uma parte da comunicação social, ridicularizando o milagre, empobrecendo a figura do Santo e ofendendo a Igreja.
D. Carlos Azevedo responde a essas críticas num jornal de hoje. O artigo pode encontrar-se AQUI.
Fonte: Ubi Caritas

sexta-feira, abril 10, 2009

Tentações dos padres

Homilia do Arcebispo de Évora nda Missa Crismal
O exercício da comunhão eclesial e presbiteral exige atitudes de vigilância. Pois ninguém, nem mesmo aqueles que foram eleitos por Deus para serem “servos da comunhão eclesial” estão isentos de tentações.
E são muitas as tentações que podem insinuar-se na vida dos presbíteros.
  • A tentação do individualismo, da ostentação e do isolamento auto-suficiente que podem levar à incapacitação para a comunhão presbiteral.
  • A tentação do autoritarismo para a qual S. Pedro nos adverte na sua primeira carta (5,3), com palavras sábias e inspiradas: não exerçais o poder “como donos daqueles que vos foram confiados, mas como modelos do rebanho”.
  • A tentação da demissão que leva à negligência, por preguiça ou por medo de desagradar. Não é aos homens que temos de agradar mas sim a Deus. Por essa dificuldade também S. Paulo passou, mas ele soube vencê-la. Ouçamos o que escreveu aos cristãos da Galácia (1,10): “porventura procuro aprovação dos homens? Se eu procurasse agradar aos homens não seria servo de Cristo”. Como ele, também nós, se queremos ser servos de Cristo, não podemos reger-nos por critérios humanos. O nosso ideal não pode ser agradar aos homens mas estar ao serviço dos homens nossos irmãos e, de modo especial, estar ao serviço daqueles que são membros do mesmo presbitério.
Fonte: ecclesia

Que padres são apreciados pelos cristãos

Homilia do Bispo de Santarém na Missa Crismal
As comunidades cristãs não podem viver sem presbíteros que congreguem os fiéis pela Palavra e pelos sacramentos.
Os cristãos necessitam e apreciam os seus padres pelo testemunho que dão de entrega a Deus e ao serviço pastoral, reconhecem a sua dedicação generosa e gratuita, admiram a sua atitude de bondade e de alegria, esperam que sejam guias espirituais e servidores da comunhão, que irradiem a riqueza interior e a experiência pessoal de fé amadurecidas na vida espiritual.
(...)
Numa sociedade satisfeita com os bens imediatos, indiferente à proposta da fé, marcada por preconceitos e suspeitas em relação ao cristianismo, por vezes mesmo hostil à Igreja, não podemos considerar como adquirida uma disposição favorável ao anúncio do evangelho. A Palavra que pregamos necessita da força do Espírito e, igualmente, do apoio dos sinais visíveis da fé. São os frutos palpáveis do cristianismo na vida dos crentes que podem despertar o interesse e a atenção dos destinatários da missão.
Fonte: ecclesia

quarta-feira, abril 08, 2009

"A causa da crise na Igreja é a infidelidade ao Vaticano II e o medo das reformas"

Cerca de 300 teólogos e responsáveis de comunidades de base (entre eles, Juan José Tamayo, Imanol Zubero, Evaristo Villar, Juan Masiá ou Juan Antonio Estrada) assinaram o documento: "Diante da crise eclesial", no qual constatam "a perda de credibilidade da institução eclesial", cuja "causa principal é a infidelidade ao Vaticano II e o medo diante das reformas que exigia à Igreja".

Por isso mesmo, reclamam "a reforma urgente do circulo papal", denunciam a "incapacidade para escutar" da herarquia e a "dupla atitude de mão estendida para com as opiniões próximas da extrema direita autoritária (ainda que sejam infiéis ao evangelho e inclusive ateas), e os golpes sem misericórdia contra todas as opiniões que defendem a liberdade evangélica".

Este é o conteúdo íntegro do documento:

PERANTE A CRISE ECLESIAL

Somos conscientes de que este escrito é um procedimento extraordinário, mas parece-nos que também é extraordinaria a causa que o motiva: a perda de credibilidade da institución católica que, em boa parte, é justificada e que os meios de comunicação social converteram já em oficial, alcançando esta percentagens preocupantes. Este descrédito pode servir de descupla para muitos que não querem acreditar, mas é também causa de dor para muitos crentes. É a eles que nos dirigimos principalmente.

1.- A Igreja foi definida desde antigamente como santa e pecadora, “casta prostituta”. Crises graves não faltaram ao longo da sua história, e a actual pode magoarnos mas não nos pode surpreender. Toda a crise é sempre uma oportunidade de crescimento, se nestes momentos “não envergonharmos do Evangelho". Sabendo que o amor a uma mãe doente não consiste em negar ou dissimular a sua doença mas em sofrer com ela e por ela. Se desejamos uma Igreja melhor não é para fazermos parte do club dos melhores, mas porque o Evangelho de Deus assim o merece.

2.- Não há aqui espaço para uma análise mais alargada, mas parece claro que a causa principal da crise é a infidelidade a Vaticano II e o medo diante das reformas que exigia à Igreja. Já durante o Concilio fizeram-se duríssimas críticas à cúria romana. Mais tarde Paulo VI tentou reformá-la, mas foi bloqueado. É muito fácil depois converter um papa concreto na imagem visivel das falhas da Cúria. Por isso preferimos expressar desde aqui a nossa solidaridade a Bento XVI, a nível pessoal e apesar das diferenças que possam existir a nível ideológico: porque sabemos que os papas não são mais do que pobres homens como todos nós, que não devem ser divinizados. E que se algum erro grave se cometeu em todos os pontificados anteriores foi precisamente o deixar bloqueada essa reforma urgente do círculo papal.

3.- Uma das consequências deste bloqueio é o injusto poder da curia romana sobre o colégio episcopal, que se exprime numa série de nomeações de bispos à margem das igrejas locais, procurando, não os pastores que cada igreja necessita, mas peões fiéis que defendam os interesses do poder central e não os do povo de Deus.

Isto têm duas consequências cada vez mais perceptíveis: a dupla atitude de mão estendida para com as opiniões próximas da extrema direita autoritária (ainda que sejam infiéis ao evangelho e inclusive ateas), e golpes sem misericoódia contra todas as opiniões que defendem a liberdade evangélica, a fraternidade cristã e a igualdade entre todos os filhos e filhas de Deus, tão clamorosamente negada hoje. Outra consequência è a incapacidade para escutar, que faz que a institução esteja cometendo erros ridículos maiores que os do caso Galileu (pois este, ainda que tivesse razão na sua intuição sobre o movimento dos astros, não a tinha nos seus argumentos; enquanto que hoje a ciência parece dar-nos dados que a Cúria prefere ignorar: por exemplo no concerce aos problemas referentes ao inicio e ao fim da vida). A proclamada sintese entre fé e razão vê-se assim colocada "entredicho".

4.- Para além dos diagnósticos, gostaríamos de ajudar com atitudes de fé amistosa e paciente nestas horas negras do catolicismo romano. Deus é maior que a institução eclesial, e a alegria que brota do Evangelho capacita até para carregarmos con esses pesos mortos. Não vamos deixar a Igreja, nem que tenhamos de suportar as iras de parte da sua herarquia.

Mas temos a lição que nos deixou a história: as duas veces em que o clamor por uma reforma da Iglesia foi universal e não foi escutado por Roma, estão relacionadas com as duas grandes rupturas do cristianismo: a de Focio e a de Lutero. Isto não significa que a ruptura foi legítima: só queremos dizer que não se pode esticar demasiado a corda. Também não vamos a romper, porque a Igreja que amamos é muito mais do que a cúria romana: sabemos muito bem que apenas há infernos nesta terra onde não destaca a presença silenciosa de missionários, o de cristãos que dão ao mundo o verdadeiro rostro da Igreja.

5.- Durante grande parte da sua história, a Igreja foi uma plataforma de palavra livre. Hoje ninguém acreditaria que um santo tão amável como Antonio de Lisboa pudesse pregar públicamente que enquanto Cristo tinha dito “apascenta a minhas ovelhas”, os bispos da sua época dedicavam-se a ordenhá-las ou a tosquiá-las. Nem que o místico São Bernardo escreve-se ao papa que não parecia sucessor de Pedro mas de Constantino, para seguir lhe peguntar: “Faziam isso São Pedro ou São Paulo? Mas já vê como se pode ferver o gelo dos eclesiásticos para defenderem a sua dignidade”. E a terminar dizia: “indignam-se contra mim e mandam-me calar a boca diczendo que um monge não têm que julgar os bispos. Mas eu preferia fechar os olhos para não ver o que vejo”... Precisamente comentando este tipo de palabras, escrivia em 1962 o papa actual (num artigoo entitulado “libertad de espíritu y obediencia”): “é sinal de que melhoraram os tempos se os teólogos de hoje não se atrevem a falar dessa forma? Ou é sinal de que diminuiu o amor, porque se tornou apático e já não se atrevem a correr o riscoo da dor pela amada e para ela?”.

Assim gostariamos de falar: não nos sentimos superiores, pues conhecemos bem, em nós próprios, qual é a profundadidade do pecado humano. A Escritura, ao falar dos grandes profetas, ensina que o seu destino não é o protagonismo mas a incomprensão; e perante isso somos obrigados a dizer como o apóstolo Paulo: “se nos ultrajam bendiziremos, se nos perseguem aguantaremos, se nos difamam rogaremos”. Porém, também nos sentimos chamados a gritar porque também há ali uma imprecação impressionante que tememos que tenha aplicação no nosso momento actual: “por vossa causa é blasfemado o nome de Deus entre as gentes!”.

“Fixos os olhos em Jesus, autor e consumador da fé” sabemos que podemos superar estes momentos duros sem perder a paciencia nem o bom humor nem o amor para todos, incluidos aqueles cujo governo pastoral nos sentimos obrigados a criticar. Este é o testemunho que quisemos dar com estas linhas.

Juan Antonio Estrada, Imanol Zubero e as assinaturas que seguem:


Aburto Rike, Juan María 30554294-J
Adell Ventura, Joaquim 19103075 B
Aguinaga García Marisa 968970 A
Aguirre Osacar, Alejandro 15 547 929 K
Aguirre Martín-Gil Mª Teresa 70553205S
Alcalde Revilla José Luis 13859081 V
Alegre Santamaría Xavier 39264949 Q
Amigot Gracia, José Manuel 15.640.357-N
Andrea García Calvo, Maite 78924388
Anta Moldón Argentina 11683869 F
Aranda Latorre, José Miguel 40916223 M
Arias Ergueta, Pedro Luís 22.711.607 G
Arnedo Forcano Ricardo 73917777 E
Arpide Etxano Xabier 30 671 794-Y
Arpide Etxano Asier 30672183 G

Arregui Olaizola, José 15895560
Askasibar Renobales, Xabier 30.594.377-F
Apastegui Mangado, Augusto 15 785 712-F
Ayerra Rodríguez Mari Patxi 16473264 C
Azilu Sagastuy Jesús 39611688 F
Azpeitia Bengoa, Miguel Ángel 14538723-D

Baena Altisent Mª Isabel 280103 E
Baeza Atienza Javier 5166967 Q
Barba Pérez Carmen 40857366 H
Barbazán Díaz Pilar 50272247 C
Barja de Quiroga Mª Mercedes 32109212 Q
Barja de Quiroga Mª Dolores 32109211 S
Beca Mª Pilar 144164T.
Beltrán de Otalora Goya, José L. 16126115 X
Beorlegui Rodríguez, Carlos 72624921 Y
Bérchez González Rafaela 30020366 F
Bernabeu López José Ramón 23556575 K
Blanco Ruíz Antonio 39598700 Z
Blázquez Jiménez Virginia 28358995
Boedo Osorio Rosa Mª 32278025
Bofill Portabella Roser 37808430H
Bosch Sintes Juan José 42436724 E
Bragulat Bosom Francesc 36886382V
Bueno González Rafael 2928852 E

Calle de la Peña, Javier 14.582.378-X
Carreras Ignasi 37685405 C
Carrión Mangas, Hipólito 14 509 829 A
Casas Andrés, Roberto 20180035 L
Carrasco Macarro Joaquín 76202113 P
Casasnovas Ana Mª 368367 O
Castel Branco Mª Ines 3514901 H
Castell-Ruiz Casado, Ana 16 000 886-Q
Castelli Hugo 0121318 Q
Castillo Rodríguez Javier 5354576 S
Castro Recuero Jesús 35926170 D
Celigueta Crespo Tere 16213653 X
Cigüenza Zuazo, Marta 30679172- R
Claret Corominas Jordi 36606722Z
Collado Broncano Manuel 6818933 P
Coloma León, Agustina 18 191 207-R
Comes Ballester, Josep Antoni 13833407B
Corera Oroz, Concepción 15.768.514-J
Corera, Violeta 14403138 D
Crende Corbera 51852537 A
Criado Lobato Modesta 12135895 Z
Cruces Gaitán Timoteo 1154744 Y
Cuenca Valdivia Pedro 25880655 C

De Burgos Román Juan 00104125 G
De Dompablo y B. de Qurirós Jorge 50028132 G
De Juan-Creix i Bretón Ignasi 46217240 M
De la Vega Cebrián María 17682192 E
Del Rey, Charo 14782926K.
Delgado López Teresa 7695095_P
De Miguel Rivas Carmen 29812226 Y
De Sebastián Luis 14138382 Y
De Tapia Pérez Emiliano 12699456 Y
Díaz Flor 50 417 463 Z
Díaz Ortiz José 1239300 Z
Domínguez Domínguez Matías 75497843 K
Duato Gómez-Novella, Antonio 19255891 S

Echávarri Zuazu, Mª Angeles 18.208.322-G
Echeverría Erro, Jesús 15.528.725- E
Echeverria Erro, Teresa 15731689 B
Eizaguirre Díez de Rivera Carmen 727761 H
Espino Granado José Luis 12971899
Esquinas Candenas Mercedes 2768657 S
Estrada Díaz Juan Antonio 28363136 L
Etxeazarraga Gokikoetxea 14090412 Z

Fanjul Suárez Gonzalo 834418 R
Fernández Barberá Carlos 990683 G
Fernández Benítez, Miguel 31626263K
Fernández Campoamor Beatriz 1065753 W
Forcano Cebollada Benjamín 39614473 D
Forcano Lloveras Antonio Mª 38783531
Fuster Junquera Patricia 50799973 B

García-Aguiló Lladó Matilde 00021425 N
García Albertos José Ramón 50856823 M
García-Castellano García Ana 50304392 B
García de Eulate Romanos Mª Jesús 15751977J
García García José Luis 3191314
García González Quintín 72110042
García Monge José Antonio 17234790 Q
García-Moreno García Catalina 76201561 P
García Pérez, Rubén 29034601-E
García Roca, Ximo 19473972 X
Garrido Amado Mª Victoria 1205123 S
Garzón Montenegro Elena 2525345 Z
Gaztambide Roldan, Sagrario 15 781 483 X
Gil, Carlos 16022785L
Giménez Meliá Josep 41491831 S
Ginel Viela Alvaro 03053619 R
Gómez-Marthino Cortés Ana 07227190 S
Goikoetxea Iturregui, Marije 30550821J
Goikoetxea Iturregi, Enrique 14.940.251 A
Gómez Cañedo, Julio 30581038 P
Gómez Rodríguez, Enrique 7406551-E
González González Ana Mª 50663052 D
González Faus José Ignacio 17242601 F
González López Guillermo 31.601.905C
González Tánago Julio 31071000 R
Goñi Soroa, Javier 14.520.718
Górriz Latorre, Jorge 37 616 161-Y
Gorrochategui Oyaneder Carmen 14.998.851 E
Grande Lorenzo Beatriz 002026875 T
Gutiérrez del Val, Macrina 51 576 698 A

Haya Oteiza Margarita 13730352 L
Hernández Rey Carmen 76223632 E
Hernández Zubizarreta Antonio 14861528
Hernández Martínez Antonio 1465593 Q

Ibáñez Pastor Luis 19471762 P
Iglesias Meilan, Jose Luís 15.360.721 X
Iragui Aguinaga, Sixto 15 766 039-E
Iribarren Echarri Mª Teresa 15596795 N
Iribarren Lizarraga, Jesús 15.736.229- C
Iruretagoyena Sánchez, Javier María 30674429 L
Isusquiza Yarritu, Luís Ignacio 14.912.963 Q
Jiménez Larrea, Marta 14.507.051 V
Jiménez Urbano, José Luis 16 009 788-V
Joya Castellano Blanca 51593264 D
Juan Herranz Gema 208055475 T

Laborda Hernández, Joaquin 15 775 813 K
Lanao Clavera Jesús 40788930 V
Largo Macho Otilio 01319397 V
Larraya Zaragüeta Manuel 15707721 D
Linaza Antonio 14165671 V
Llano, Ana 14579510V
Llorente Mingo, Javier 30.621.557 R
Lobo Alonso José Antonio 6479974 T
Lois Fernández Julio 35125497 N
López Bruñet Trinidad 98868 Z
López López Juan Francisco 707874835
López Yebra Emilio 34583988 S
Lunar Hernández Carmen 50785987 D

Madariaga Garamendi, Iosu 14.599.599G
Maestrojuan Correcher, Pilar 15717077G
Malla Escofet Pilar 36184813 V
Marone Borbón Mª Teresa 2190621 D
Markina García, Nerea 78876552 F
Martí Félix 37112869 T
Martín de la Concha José Luis 11983287 - B
Martín Martínez, Vicenta 16 485800 K
Martínez de Ag. Ortiz de Zárate, Javier 14 139 890- L
Martínez Flórez, Ángel 71392933 J
Martínez Genique Alberto 2130434 J
Martínez García Salvador 22483478 N
Martínez González Manuel 03792458 A
Martínez Gordo Jesús 14686667
Martínez Lalmolda, Carmelo 13198059S
Martínez Rodamiláns, Ana María 14826565 Y
Martínez Sola Mª Mercedes 74955417 G
Masiá Clavel, Juan 22309570 F
Mateo de Miguel Felícitas 16491613 S
Mendezona, Mikel 78887981
Mendia Gallardo, Rafael 14841641 V
Mendoza García Salvador 22483478 N
Merino Paz Dolores 5375651 E
Merino Pérez Lorenzo 1322162 F
Mesperuza Rotger, Eskolumbe 30.564.326 V
Miaja de Sarrazo Ana María 1397997 B
Mirena Bakaioa Joseba 15772534 P
Mora Moracho, Natividad 00.847.177-H
Moreno Domingo Carmen 646822 Q
Moreno Muguruza Carmen 06366099 K
Moreno Muguruza Mercedes 6364954 A
Moreta Ignasi 46242631 G
Mostazo Alava, Ana Carmen 16 008 254-R
Muerza Serra, Javier 15.740.517-F
Múgica Munárriz, Guillermo 15689652- H
Mujal Lluis G. 36878831X
Muñoz Barrera, Francisco 16000254-M
Murillo Urcelay Isabel 15763426
Mutiloa Goldáraz, Mª del Carmen 15.701.608- Z

Oiz Ibarrola, Roberto 15.760.741-Z
Oliveres Sanvicens Mª Lluisa 36239218 G
Onrubia Javier 680616 T
Ontañón Carrera Guillermo 344083 A
Oñate Lamas Joan 37734599V
Oñate Landa M Carmen 14.883.099- Y
Oñate Landa Javier 14929191 Y
Oroz Echarri, Ramón 33 434 823 E
Orradre Esáin Miguel 15740047
Ortega González Ascensión 1766466 C
Ortega Rodríguez Álvaro 50861982 N
Ortuzar Arines Bingen DNI 78871090L
Osés Serda Mª Asunción 46114153 G
Oyarzabal Elena 15526983

Pagola Lorente, Javier 15 750 374 C
Paradinas Riestra Luis 02468380 C
París Aristy, Patxi 15 735 961- M
Pasto Bodmer Alfredo 41067519 F
Pastor Blancou Sofía 30.669.555 k
Peña Herrero Julia 12310446 C
Peña Vázquez Manuela 8737190 L
Perea, Joaquín 16.125.942-K
Pereda Olarte Carlos 14873105 B
Pérez de los Santos Héctor 2777781 E
Pérez Hernández Rafael 002487815
Pérez González Mª José 21649246 J
Pérez- Soba Baró Pilar 613500
Pérez Tapias Juan Antonio 28506131 T
Pico de Coaña de Valicourt Yago 2803833 H
Pizarro Segundo 13866250 X
Prudencio Morales Mª Luisa 8778516 Z
Pujol Lago Pura 3169145 K
Queralt Llaudert Eulalia 37743123 Z
Quirós Saíz José Luis 13777691 R

Raguer Hilari 36275058 F
Ramirez de Olano Egurbide, Maria Begoña 15758661 G
Reino Prada Miren Estibalitz 14596982 D
Renedo, Heraclio 03051744 N
Riega Riega, Mª Isabel 15.722.441- D
Ríos Villanueva Marta 13074321 X
Rodríguez Aguado Eubilio 12667060 V
Rodríguez Fernández, José Miguel 12.214.414 B
Rodríguez García, Micaela 12 141 667 J
Rodríguez Gómez Franco 11044077 Y
Rodríguez Sánchez Antonio 23634228 A
Rodríguez Teso Agustín 393291 Z
Rosende Paz, Emilia 14 859 851B
Ruiz Fernández Cristina 50319088 X
Ruiz Orbezua Elena 30685524M
Ruiz Torres Tomasa 50138939 A

Sacristán Gárate Pilar 29338910
Saenz de Cabezón Anitua Miguel 6125695 G
Sáenz de Ugarte Eguskiza, Luis 72.255.704 -P
Saenz Novales Patricia 30658405A
Sagaseta Castaño, Juan José 15.701.248- E
Sala Canela Magda 37888416X
Salamero Duaso, Mª Cruz 36 490 309-G
Sánchez Maus Jesús 4954960 S
Sánchez Menéndez Pedro 10973133 V
Sánchez Monroy, Ignacio 03868781 C
Sánchez Torrado Santiago 2463199 Z
San Martín Picabea, Inés 16 009 563-E
San Martín Oncea, Vicente 15.527.960- Q
Sasia, Peru 14.960.491 A
Sastre García Jesús 13286399 N
Seguí Martí Anna 78320263 L
Sobrino Aranzabe, Itziar 30659250C
Sol Bachs Salvador 36225628F

Tamayo Acosta Juan José 12676077 H
Tascón Fernández Julio 1906644 J
Terribas Alamegó Jaume 37442904P
Tito Lloret Amelia 21315613
Tojo Menéndez José Ramón 537071 K
Toña Guenaga, Ángel 15774823- C
Torrens Viladecans Josep 46325751W
Torres García, Carmen 00552153
Torres Pérez, Mª José 387338-H
Torres Queiruga, Andrés 33093065 K
Tortosa Alarcón José María 52519136 D
Tostado Sánchez Pedro 00770712 M
Totosaus Josep Mª 37024795 Q
Turias Dancausa, María Isabel 15763023 L

Ulibarri Fernández, Florentino 72561233 M.
Ulloa Edith 79052729 G
Uraga Laurrieta, Bittor 14.942.299 G
Urda Alguacil Antonio 39511 C
Uribarri, Juanto 14555991-G
Urrutia Gómez, Javier 16052384 V
Vázquez Torres, Magdalena 15.358.313R
Velasco Criado Demetrio 14848881 N
Velasco Martínez Rufino 163602247 W
Vélez Sáez, Mª Soledad 72 761 805 V
Vicente Martín Mª Antonia 7762336 C
Vila Despujol Ignacio 17242669 Y
Villar Villar Evaristo 03383420 M
Vitoria Cormenzana, F. Javier 14823659 K
Zabalo Gómez, Francisco Javier 14206499 C
Zubía Guinea Marta 16217365 L
Zubero Beascoechea, Imanol 30554782 H
Zumalde Otegui, Ana María 30.552.642-V
Zugasti Martínez, Mª Jesús 15 148 264 G