terça-feira, janeiro 29, 2008

100.000 escuteiros insultados pela Mediamarkt


Para ganhar dinheiro não vale tudo.

Deixem de ir à Media Markt. Podemos ir à concorrência.

Estive a ver o site. Como é possível?!!!

Não é ético que chamem parvos 100.000 escuteiros. São pelo menos 100.001 clientes que vão perder. Pelo menos eu nunca irei comprar lá nada.
Não admito que chamem parvos, a tantas crianças e jovens que trabalham no Escutismo .
Não admito que chamem parvos adultos , que dão muito de si e do seu tempo para que o Mundo seja melhor.
Não admito que se promovam com esta acusação gratuita
Que ganhem dinheiro á custa da maledicência!


Quem não se sente....

Procurem desmobilizar os vossos amigos para deixarem de lá comprar, pois para fazer Negócio , não vale tudo !

Passarei a ir a estabelecimentos concorrentes, que para servirem um cliente, não precisam de espezinhar ninguém!

segunda-feira, janeiro 28, 2008

"A ciência não é o único critério do bem" Bento XVI

"A natureza profunda do homem está marcada com o sinal da liberdade, impresso pelo Criador. E as ciências devem convergir na oferta de uma imagem articulada do ser humano sem reduções", afirmou Bento XVI no discurso proferido no congresso que decorre em Roma sobre o tema “A Identidade Mutável do Indivíduo".
"A identidade do homem está marcada por ser criado por Deus, à imagem de Deus, não encerrado em si mesmo mas em relação com os outros".
Por isso o Papa acentuou que embora as ciências tenham chegado a importantes resultados sobre o conhecimento do homem e do universo, o conhecimento científico não pode contudo tornar-se no único critério do bem. O homem e a sua vida não podem ser objecto de manipulações ideológicas ou de decisões arbitrárias baseadas na vontade de anular a dimensão transcendente do ser humano.
Fonte: H2Onews
Pode ver e ouvir a notícia aqui.

sábado, janeiro 26, 2008

Qual o grau da nossa fé?

São Paulo, neste Domingo, deixa-nos uma mensagem muito actual: "Eu soube, meus irmãos, pela gente de Cloé, que há divisões entre vós, que há entre vós quem diga: «Eu sou de Paulo», «eu de Apolo», «eu de Pedro», «eu de Cristo». Estará Cristo dividido?".

Realmente, quantas vezes ouvimos dizer eu gostava mais de João Paulo II, outros de Paulo VI, outros de João XXIII. Quantas vezes escutamos tranquilamente alguns cristãos dizer eu vou àquela Igreja porque aquele padre é "porreiro" e não vou àquela porque é um "chato". Eu quando me casar vou convidar aquele para presidir ao meu casamento. Quando estava cá o outro até participava no grupo de jovens agora já não ponho lá os pés... eu gosto daquele porque canta bem, eu vou àquela Eucaristia porque o padre demora pouco... etc, etc...

Quem conhece a vida de S. Francisco de Assis, certamente conhece este episódio. Um dia S. Francisco disse para os que o acompanhavam: "dizei-me qual é o padre mais escandaloso que conheceis, é esse que eu vou escolher para me confessar. Assim sei que não é ele que perdoa os meus pecados, mas Jesus Cristo".
Qual a medida da nossa fé?
O que nos move a participar na Eucaristia é o amor a Jesus Cristo ou o sacerdote que preside?
O que nos leva a recorrer ao sacramento do perdão, é o arrependimento, a vontade de receber o perdão de Deus e de mudar de vida ou outra coisa qualquer?
É nestas pequenas coisas que manifestamos a nossa fé ou a falta dela.

sexta-feira, janeiro 25, 2008

A importação e a exportação de vocações não é o caminho

Apesar da carência, D. Manuel Felício não pensa importar vocações sacerdotais. “Não creio que seja esse o caminho, a importação não está nosso horizonte". E acrescenta: “o caminho passa pelas comunidades gerarem as suas próprias vocações”. Apesar de outrora ser um alfobre de vocações, hoje a diocese também sente a crise de vocações...
A pastoral diocesana não pode estar relacionada com a “a importação e exportação de vocações”. As comunidades cristãs devem gerar os “agentes de pastoral que precisam”. A realidade missionária evoluiu nesse sentido. “O missionário vai para organizar a comunidade, mas quanto possível preparar a comunidade local com agentes próprios”.

A solução está em aproveitar “centenas de leigos com preparação para intervir na acção pastoral”. E as próprias comunidades religiosas estão “longe de estar devidamente aproveitadas”. A articulação é fundamental para “respondermos as desafios das novas situações”.
Fonte: Ecclesia
Concorda: a solução não está na importação de vocações?
Que preparação prévia é dada aos sacerdotes que tem chegado às diversas dioceses? Um missionário tem de prepara-se para ir para a missão.
Não há um certo egoísmo e aproveitamento dos sacerdotes de países mais pobres do que a diocese para onde vão?
Os sacerdotes que vem trazem algo de novo, vêm como missionários?
Que aproveitamento têm feito as dioceses dos leigos? Não haverá centenas de leigos com preparação prontos a intervir na acção pastoral?

quarta-feira, janeiro 23, 2008

Igreja quer cristãos sem medo

“Cada um de nós e a Igreja, dentro dos diversos movimentos que se ocupam da família, nas áreas sociais e educativas, se temos valores não os podemos calar”. Este foi o apelo que D. António Carrilho, Comissão Episcopal do Laicado e Família fez a todos os participantes do encontro de responsáveis da Pastoral Familiar.

“Não se pode deixar correr”, não se pode deixar de anunciar com entusiasmo os valores de que estamos convictos e deixemos para trás o “medo ou a vergonha de apresentar princípios e valores”.

Numa cultura com determinadas características, e com uma perspectiva “múltipla” sobre a família, “em muitos casos distante do projecto que a Igreja apresenta, podemos deixar de propor um projecto que consideramos ser importante e ser fonte de alegria, paz e felicidade para as famílias”.

Fonte: ecclesia

terça-feira, janeiro 22, 2008

Os católicos divorciados foram muitas vezes "maltratados e ignorados" pela Igreja.

Arcebispo de Milão, o Cardeal Dionigi Tettamanzim, escreve aos católicos divorciados e separados na sua Diocese, na qual reconhece que os mesmos foram muitas vezes “mal tratados e ignorados” pela Igreja. Este responsável pede que eles participem na Missa, mesmo que não possam comungar.

A carta, de 23 páginas, foi publicada esta Segunda-feira e esta à venda nas livrarias italianas, com o título "O Senhor está perto de quem tem o coração ferido".

O Cardeal Tettamanzi manifesta a sua tristeza pelos separados e divorciados que foram “feridos, julgados sem misericórdia ou condenados por homens e mulheres da comunidade cristã”. O Arcebispo de Milão admite que os separados e divorciados têm a impressão de que a Igreja “ignora os seus sofrimentos”.

"A Igreja sabe que, em certos casos, não só é lícito, mas inevitável decidir pela separação; para defender a dignidade da pessoa, evitar traumas mais profundos e manter a grandeza do matrimónio, que não se pode transformar numa série insustentável de agressões recíprocas.


Fonte: Rádio Vaticano

É BOM COMEMORAR O BAPTISMO

O Arcebispo de La Plata (Argentina), D. Héctor Aguer, exortou aos fiéis a "registarem a data do nosso próprio baptismo e a comemorarem, como uma festa pessoal, o aniversário, para darem graças a Deus por ter nos feito cristãos, filhos d'Ele, membros da Sua Igreja".

Numa recente homilia, o Prelado assinalou que "temos que valorizar cada dia mais o dom recebido no baptismo, pelo qual como filhos adoptivos nos assimilamos à filiação do Filho Unigénito, e convertidos em templos do Espírito Santo podemos viver em louvor ao Pai e confiar no Seu amor providente, procurando agradar-Lhe em tudo".

Depois de considerar que "o efeito pessoalíssimo do baptismo em cada um de nós é correlativo, recíproco, ao efeito eclesiástico: o baptismo incorpora-nos ao Corpo de Cristo que é a Igreja", o Arcebispo de La Plata assegurou que "não estamos sozinhos, não somos cristãos isoladamente, mas sim como membros uns dos outros na realidade misteriosa da Igreja".
Fonte: Theosfera
Quem sabe a data do seu baptismo?

segunda-feira, janeiro 21, 2008

Personagem ou acontecimento de 2007

Achei interessante saber a vossa opinião sobre a pessoa ou acontecimento que assumiu um papel de maior relevo no ano de 2007. Poderia citar muitas outras pessoas ou acontecimentos, mas referi apenas cinco (é um critério, discutível, um critério pessoal). Vejamos os resultados. Votaram 65 pessoas.
  1. Tratado de Lisboa - 20 (30%);
  2. Desertificação do interior - 19 (29%);
  3. Gato Fedorento - 14 (21%);
  4. Desastre de autocarro - 8 (12 %);
  5. Cristiano Ronaldo - 4 (6%).

Gostaria de conhecer os vossos comentários a este inquério. Eu já reflecti...

OIKOS já ajudou mais de 40 mil pessoas em Moçambique

Actualmente são 17 pessoas, todas moçambicanas. Onze são técnicos agrónomos. O coordenador do projecto é formado em Gestão Financeira com alta experiência em projectos logísticos. Existem dois membros portugueses da nossa equipa moçambicana em outros projectos, mas que fornecem apoio técnico ao programa nacional. A Oikos acredita no investimento de capital humano de Moçambique como parte de uma estratégia de desenvolvimento sustentável e, por isso, damos prioridade à equipa local.

A Oikos trabalha em seis províncias de Moçambique. Em Zambézia e Tete – onde se localiza a nossa acção humanitária com vítimas das cheias – e Niassa, Nampula, Gaza e Maputo, província onde desenvolvemos actividades que promovem a segurança alimentar e vida sustentável para famílias rurais. Temos também um programa de prevenção e mitigação do impacto do VIH/SIDA, pois a taxa de incidência da doença chega a quase 30 por cento em algumas zonas. A Oikos já ajuda 11 676 famílias, correspondendo a 49 039 pessoas.

Em termos de intervenções de acção humanitária recebemos apoio financeiro da União Europeia (principalmente da Echo), do Governo de Portugal, através do IPAD, e também de algumas fundações e de particulares. Para a actual necessidade, a Oikos necessita de mobilizar mais de 384 mil euros para um período de quatro meses.
Fonte: correio da manhã
AFINAL a Igreja está onde as pessoas mais precisam...
Onde estão as outras instituições que tanto criticam a Igreja?!!!

Dario Fo manifesta-se a favor do Papa

Mesmo criticos da Igreja, como o Nobel Dario Fo, defenderam o direito do Papa a discursar livremente. Não podia ser doutra forma... senão cairia na "censura", tantas vezes criticada e com razão por àqueles que defendem a liberdade de opinião.

Milhares de estudantes universitários saíram à rua para apoiar Bento XVI

Ontem dezenas de milhares de estudantes universitários concentraram-se no Vaticano numa demonstração de solidariedade pelo papa Bento XVI na sequência dos protestos que o levaram a cancelar um discurso na universidade de "La Sapienza".
"Obrigado a todos por esta manifestação de solidariedade" afirmou sorridente Bento XVI, dirigindo-se à multidão que o aplaudia.
Eram muitos os manifestantes que empunhavam cartazes contra a "censura" imposta por membros da universidade. Ou será que alguns pensam que quando é contra a Igreja já não é censura.
Recordando os anos em que leccionou teologia, o Papa afirmou: "encorajo-vos a todos, queridos estudantes universitários, a respeitar as opiniões dos outros e a procurar a verdade e a rectidão".

sábado, janeiro 19, 2008

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

Um dia alguém com responsabilidade dizia:
"Quantas vezes a Igreja em vez de estar unida, está reunida".

sexta-feira, janeiro 18, 2008

Souad Sbai, muçulmana defende o Papa contra a intolerância

"Um homem que para as nossas mulheres de cultura muçulmana é sobretudo o homem da paz e do diálogo, uma figura clemente e generosa que procura o encontro com os diferentes, socorrer os indefesos e oprimidos, defender em qualquer parte do mundo os direitos da pessoa."

Para Sbai, o mais incrível é que o veto provenha justamente de "uma daquelas universidades do Ocidente às quais nós, mulheres árabes – que nos inspiramos num pensador como Averroes – contemplamos como uma terra prometida da livre confrontação de conhecimentos e de saberes. Um lugar de esperança e não de intolerância para nós que sabemos bem aonde conduz a intolerância".

Também para as mulheres que ela representa esse dia foi "uma jornada de tristeza e de vergonha porque se celebrou a afirmação de uma ideologia facciosa e arrogante, de um laicismo oportunista que quer ter as mãos livres na construção de uma sociedade italiana à sua imagem e semelhança".

Uma sociedade, acrescenta a jornalista marroquina, "privada de valores, de conteúdos, de espiritualidade e de impulsos ideais".

A ideologia que impede Bento XVI de tomar a palavra num ateneu da sua cidade "é a mesma que convida alguns extremistas islâmicos e expoentes da esquerda mais extrema a falar nas universidades".

«Unidos, não por acaso, pela mesma repulsa das grandes verdades da história e a mesma rejeição do pensamento humanístico, assim como do apaixonante debate sobre a relação entre fé e razão que justamente Bento XVI situou no centro do diálogo entre o Islã e o Ocidente".

O que é uma verdadeira paróquia?

"O que faz uma paróquia
é a corresponsabilidade dos seus membros" -
D. Albino Cleto

Em primeiro lugar, tem de haver fiéis!!!
Em segundo, tem haver fiéis leigos dispostos a assumir a sua responsabilidades e sacerdotes dispostos a dar-lhes o que eles tem direito!!!
E em terceiro, que todos se sintam corresponsaveis, cada um segundo a sua condição e as suas capacidades, para assumirem as suas obrigações no campo da evangelização, do culto e da caridade.

Será que muitas terras que, hoje, são paróquias têm as condições minimas para continuarem a existir como paróquias?

Carnaval católico

A rádio católica XTOfm organiza, neste Carnaval, um encontro para jovens e famílias, em que "a alegria e a presença de Senhor é o ar que se respira".

A intenção é promover uma festa católica, o Carnaval católico. Assim sendo, será na noite de Carnaval, 4 de Fevereiro, pelas 20h30 no Auditório da Associação Agrícola de S. Miguel.

É proibido o consumo de álcool e drogas, sendo obrigatório trazer roupa branca.

A festa terá o seguinte programa: Concertos; Eucaristia; Cristoteca.

Estará presente o cantor internacional Gaby, bem com o Grupo de Jovens de Ponta Garça, Grupo Coral Juvenil da Maia, Carolina Vieira, SpiriTeen e Pe. Jason Gouveia.
Fonte: Ecclesia

quinta-feira, janeiro 17, 2008

Nasce na Itália site dedicado aos conflitos esquecidos - Promovido por Caritas e Pax Christi

A Cáritas Italiana e Pax Christi Itália promoveram conjuntamente um novo site dedicado aos conflitos esquecidos, com o fim de oferecer um instrumento para educar na paz, respondendo a um chamado dos bispos italianos.

O objetivo, segundo indica a apresentação do novo site (http://www.conflittidimenticati.it/), é oferecer «informações históricas sobre as diversas guerras existentes, aprofundamentos sobre o tema do conflito e do direito internacional, instrumento para a formação e a animação pastoral, assim como os relatos das vítimas».

Este projecto, indicam os promotores, «quer ser uma contribuição para responder ao convite que os bispos italianos fizeram a nossas comunidades ‘a uma mais atenta e cotidiana educa-ção para a paz, mediante um empenho mais decidido em construir itinerários pedagógicos concretos capazes de desenvolver cada vez mais mentalidades e testemunhos de paz’».

Nas páginas do novo site, oferece-se informação sobre os maiores conflitos armados, dos quais sete se situam no continente africano: Argélia, Burundi, Uganda, Ruanda, Libéria, República Democrática do Congo e Sudão (dois conflitos).

Outros seis dos maiores conflitos continuam abertos na Ásia: Caxemira, Índia; Nepal, Filipinas (dois conflitos), Mianmar (antiga Birmânia), Sri Lanka e Paquistão.

Quatro têm como cenário o Oriente Médio: Iraque, Afeganistão, Israel-Palestina e Turquia.

Outros dois acontecem no continente americano: Colômbia e Peru, Estados Unidos (contra Al Qaeda); um, por último, situa-se na Rússia (Chechênia).

Destes conflitos, seis superam o número de mil mortos em combate: Uganda, Sudão, Caxemira, Nepal, Iraque e Chechênia.


No site da Cáritas e Pax Christi se afirma que «muito além das definições dos especialistas, estes dados mostram de modo inequívoco que as guerras interestatais (com ou sem forma de intervenção externa) se converteram na principal forma de violência organizada nos cenários globais».
Fonte: Zenit

"Seo Papa não vai a La Sapienza, La Sapienza vem ao Papa"

Centenas de estudantes universitários deslocaram-se ontem ao Vaticano para saudar o Papa Bento XVI, num gesto de solidariedade um dia depois do Sumo Pontificie ter cancelado o discurso na Universidade de La Sapienza, em Roma, devido aos protestos de alunos e professores.
Os presentes manifestaram assim o seu o seu descontentamento com os acontecimentos que levaram ao adiamento da visita do Papa à universidade “La Sapienza”, o mais antigo ateneu romano e o seu apoio ao Papa com aplausos e palavras de incentivo, incluindo o grito “liberdade, liberdade, liberdade”.

Qual será o conceito de liberdade numa universidade laica?

Assassinaram um padre enquanto rezava

O Padre Reynado Jesus Roda, missionário dos Oblatos de Maria Imaculada, foi ontem assassinado nas Filipinas ao resistir a uma tentativa de rapto.
O homicídio deu-se em Tabawan, no arquipélago de Mindanao, onde o Padre Roda era pároco há dez anos. Enquanto se encontrava em oração numa capela, o sacerdote, de 54 anos, foi abordado por um grupo de homens armados que tentaram sequestrá-lo.
Perante a resistência do missionário, os agressores acabaram por abatê-lo a tiro.

quarta-feira, janeiro 16, 2008

Bento XVI foi convidado a ir à Universidade «La Sapienza», mas....

O jornal do Vaticano, L’Osservatore Romano, divulga na sua edição de Quinta-feira o discurso que o Papa tinha previsto pronunciar na Universidade “La Sapienza”, de Roma, onde se iria apresentar como “uma voz da razão ética da humanidade”.

“Não venho impor a fé, mas pedir a coragem para a verdade”, refere o texto que Bento XVI tinha preparado para a visita de 17 de Janeiro, que acabou por ser adiada devido a protestos de membros da comunidade académica desta instituição, que foi criada por um Papa no século XIV.

A intervenção papal fazia questão de sublinha que a Sapienza é “hoje em dia uma universidade laica”, independente das autoridades políticas e eclesiásticas. Isso não invalida, escreve Bento XVI que ali não seja escutada “a sabedoria das grandes tradições religiosas”.

“O perigo do mundo ocidental, para falar apenas neste, é que hoje o homem, justamente em razão da grandeza do seu poder e do seu saber, capitule perante a questão da verdade” e que a razão “ceda à pressão dos interesses e à tentação da utilidade erigida como critério supremo”.

Numa referência relação entre fé e razão, Bento XVI alerta para o perigo de que “a teologia, cuja mensagem é dirigida à razão, venha a ser confinada à esfera privada de um grupo mais ou menos grande”.

Numa carta enviada ao Reitor da Instituição, Renato Guarini, e divulgada no jornal do Vaticano, o Cardeal Bertone lembra que o convite dirigido ao Papa tinha sido aceite para “dar um sinal de afecto e consideração” por uma Universidade criada por iniciativa do Papa Bonifácio VIII, em 1303.
Fonte: Ecclesia
Uma Universidade Laica com laicista?!!!
«É surpreendente que quem escolheu como lema a célebre frase atribuída a Voltaire – ‘lutarei até a morte para que tu possas dizer o contrário do que penso’ –, se oponha a que o Santo Padre pronuncie um discurso na universidade de Roma ‘La Sapienza’».

O SANTO PADRE CELEBROU «DE COSTAS» PARA O POVO

O Santo Padre celebrou, no dia 13, a Santa Missa, segundo o rito de Paulo VI, de costas para o povo. Terá sido a primeira vez que um Papa um fez desde a reforma litúrgica.

sábado, janeiro 12, 2008

O laicismo dos estados é sinónimo de neutralidade?

Para mim, um estado que renuncia a qualquer forma de simbologia religiosa (França, Itália) não exprime uma posição mais neutra do que um Estado que adere a determinadas formas de simbologia religiosa (Irlanda, Dinamarca, Reino Unido, Grécia, Malta, Alemanhã).
Erradicar a sensibilidade religiosa não é uma posição neutral. Significa que se está a previligiar, na simbologia do estado, uma visão do mundo em detrimento de outra.
No discurso constitucional europeu, afirma-se que todas as constituições dos Estados-membros são iguais e contudo umas parecem mais iguais do que outras. A orientação laica da Constituição francesa e italiana terá mais valor do que a inglesa, grega ou alemã, por exemplo?
Segundo alguns, a referência à religião ofende a sensibilidade constitucional laica, porém o silêncio sobre a religião não deve ofender a sensibilidade constitucional religiosa.
A solução talvez mais adequada foi a da Constiuição Polaca. Reconhece igualmente a sensibilidade laica e a sensibilidade religiosa.
"Considerando a existência e o futuro da nossa Pátria, que recuperou em 1989 a possibilidade de uma determinação soberana e democrática do próprio destino, Nós, a nação Polaca, todos os cidadãos da República, quer aqueles que acreditam em Deus, como fonte de verdade, justiça, bem e beleza, quer aqueles que não partilham tal fé, mas respeitam esses valores universais como emanados de outras fontes, iguais em direitos e obrigações ante o bem comum - a Polónia [...]".
Que achas o laicismo de alguns estados é sinónimo de neutralidade?

sexta-feira, janeiro 11, 2008

Os valores cristãos na Europa

"Os direitos fundamentais explicam aquilo em que se fundam as comunidades" dizia Palombella. Para ele, os direitos fundamentais ("Carta dos Direitos Fundamentais...") são um sistema de permissas sobre certos valores, são veículos de determinadas escolhas éticas. São as prioridades e os fins que um Estado (ou a Europa) consideram irrenunciáveis e nos quais pretende inspirar a sua acção.


Quais será as escolhas éticas do Tratado de Lisboa?
Em que direitos fundamentais é que se funda a União Europeia? Recusar o cristianismo é recusar a riqueza das suas principais tradições culturais e espirituais. A Europa precisa de uma história e de reconhecer a sua própria história. Só assim é que encontrará a sua IDENTIDADE EUROPEIA.

Ainda hoje, a componente cristã é uma das componentes mais relevantes da construcção europeia. Sem assumirmos o passado nunca poderemos construir o futuro.

A obrigação de ir à Eucaristia para fazer a Profissão de Fé viola a liberdade dos jovens?

Sozinhos,da facto, ninguém consegue fazer nada!
É difícil, sim, e ingrato, porque os sacerdotes não conseguem assim cumprir verdadeiramente bem a sua função!
Mas deixe-me relatar aqui uma coisa! Sou catequista há 13 anos e o ano passado, assim com está a acontecer este ano, todos os Sábados antes da catequese o discurso do Sr.Padre era o mesmo: "É necessário vir à Eucaristia." TODOS OS SÁBADOS sem excepção!
Lá mais para o meio do ano acrescentou: "É necessário vir à Eucaristia e quem não o fizer, não faz a Comunhão." E o discurso manteve-se até o fim.
No entanto, os miúdos pouco ou nada lhe ligavam! Temos missa vespertina numa capela da aldeia e alguns diziam que iam lá e outros diziam que iam a outra comunidade. Mas o pároco manteve-se firme e realmente ao Domingo poucas crianças encontrava na Eucaristia!
E os que fariam a Profissão de Fé não a fizeram mesmo.
Não será preciso dizer que foi uma pequena revolução aqui neste meio pequeno. Então fez o seguinte: a partir daquele momento os meninos para fazerem a Comunhão Solene teriam de ir à missa e fariam a Comunhão em Outubro!
Uma menina foi fazer, não sei como, a comunhão a outra paróquia, dos restantes, apenas três a fizeram, numa cerimónia simples, mas muito bonita.
Eu sei que por uns, pagaram os outros, mas naquele momento se o pároco fosse para a força, eu iria com ele... Afinal, que andamos nós, párocos, catequistas, a fazer este tempo todo? E sabe uma coisa? Se for ver quem desses meninos vai à missa actualmente, pode muito bem esconder as mãos e se precisar de alguma, uma basta e sobram-lhe dedos!
É difícil, sim...... E onde ficam os pais no meio disto tudo?
A aquecer as costas aos meninos que ao Domingo é o único dia que podem dormir mais um bocadinho e a Eucaristia é às 11:30....11:30!!! Imagine se fosse mais cedo!!!!

Ana Patrícia in blog Asas da Montanha
A Igreja deverá ser mais exigente ou mais tolerante?

"A História das Religiões deve ser ensinada nas escolas" Dr. Jorge Sampaio

A declaração é de um homem que nem sequer é crente. O Dr. Jorge Sampaio tem toda a razão ao afirmar que é um imperativo estudar a história da religiões. Só conhecendo as religiões e a sua história puderemos entender o nosso passado.
Integrar a religião na escola não configura um privilégio a qualquer Igreja. Representa, antes, um imperativo cultural. O ensino deve ser abrangente, tem de ser universal. Excluir a religião equivale a amputar a cultura.
Régis Débray (também um não crente) tem dito o mesmo. Em França. A moderação e o equilíbrio são a melhor terapia. Neste, como em todos os campos.

Revela-te quem és

Terminou a "sondagem" para tentar, dentro do possível, conhecer melhor que passa por aqui.
Obrigado a todos aqueles que quiseram revelar a sua identidade (138). Apesar de ser uma "sondagem" virtual e sem qualquer rigor cientifico, pelo menos fiquei a saber, dentro do que é possível saber, que há muitos leigos empenhados e comprometidos com a Igreja (catequistas, jovens ou pessoas que pertencem a movimentos) que visitam este blog (50% - 70). É gratificante saber que na Igreja há muitos homens e muitas mulheres que partilham as minhas inquietações. Não será apenas curiosidade...!!!
Também é relevante o número de sacerdotes, diáconos (16% - 23), religiosos e missionários (11% - 7). Já era de esperar que o número não fosse muito elevado. Não são muitos os sacerdotes que aderiram às novas tecnologias, no entanto, acho relevante 27% dos visitantes deste blog sejam pessoas de alguma forma comprometidas com a estrutura e com mais capacidade de intervenção no interior da Igreja. Espero os vossos comentários.
Não menos importante são aqueles que se assumem cristãos não praticantes (15 % - 21). Certamente fazem-no, não só por curiosidade, mas também porque desejam encontrar novas perspectivas ou até outras respostas às suas inquietações. São naturalmente bem-vindos.
Por fim, como todos tem notado, este é também um blog visitado por ateus ou agnósticos (9% -13). Não quero dizer que todos são iguais. Porém, é de lamentar o rancor que alguns transpiram contra as religiões, em especial contra os católicos, como se todos os males do mundo derivassem única e exclusivamente dos católicos... Talvez não tenhamos feito tudo o que estava ao nosso alcance, talvez tenhamos cometido erros, não somos prefeitos, mas daí até ser a raiz de todos os males...!!!
Como é lógico e tirando as devidas ilações desta "sondagem", vou continuar a dirigir este blog tendo em vista um reflexão para o interior e com aqueles que estão dentro da Igreja ou pelo menos se inquietam com ela...
Não nos esqueçamos que, por enquanto, a Constituição Portuguesa, defende a Liberdade Religiosa. Portanto, sou um cidadão portugês livre! Não sou obrigado a ser ateu ou agnóstico. Tenho direito a defender as minhas ideias e exigo ser respeitado... E ser respeitado é respeitar também a minha fé e as minhas crenças... Há certamente espaço para esta minoria expor a suas ideias, talvez num outro blog...

domingo, janeiro 06, 2008

Fundamentalismo ateu

O fundamentalismo ateu aprecia demais este blog.
Aqui debitam todo o rancor contra os crentes, especialmente católicos. Parece que ficam mais aliviados...
Mas pergunto: alguém cometeu mais crueldades do que os regimes ateus? Quantos milhões de pessoas matou o ateísmo na ex-URSS, na China, em outros países onde o ateísmo se tentou impor à força???

Ao menos, a Igreja teve a coragem de pedir perdão ao mundo pelos pecados dos cristãos através dos séculos...Não foi o que, em boa hora, fez João Paulo II?
E os ateus já pediram perdão pelos crimes que cometeram? Não se esqueçam que em nenhum outro século houve tantos mártires cristãos como no século XX...

Sabem esses senhores arautos do ateísmo o que a China continua a fazer aos crentes em nossos dias? Porque o calam?

Antes de apontar o dedo aos crentes, não seria preferível que o ateísmo olhasse para si e verificasse os oceanos de sofrimento humano que provocou onde se tentou impor pela força.
Não será que ao lado de um fundamentalismo religioso, de modo especial de índole mulçulmana, se ergue hoje um outro fundamentalismo de tipo ateu?

sábado, janeiro 05, 2008

«As religiões não são um perigo, mas um trunfo».

Só são um perigo quando são adulteradas e rejeitadas.
O perigo está quando são atiradas para os extremos.
É bom que se compreenda que o religioso é um fenómeno humano.

Os extremismos não têm a ver com Deus, mas com os homens que deturpam ou rejeitam a mensagem de Deus. Não é a mensagem que está mal, mas os homens que não suficientemente fortes para pôr em prática a Palavra de Deus.
Foi graças às religiões que a sociedade deu passos extraordinários, construiu um mundo melhor... Por alguma coisa, os homens dividiram o tempo em A.C. e D. C.

Quem é o maior CRITICO da Igreja?

DEUS

Eu critico
Tu criticas
Ele critica
Nós criticamos
Vós criticais
Eles não fazem nada!

Tem razão o Pe. Marcos Alvim, tantos criticos, tantos ódios, tanto anti-clericalismo e não me parece que nos estados que se dizem aconfessionais ou até ateus as coisas estejam melhores. Não é necessário contar os pedaços dos telhados de vidro... Gulags e outras coisas parecidas...

Padre protesta contra a fome

Há sete anos que um padre português radicado no Vaticano percorre dezenas de milhar de quilómetros de bicicleta até Fátima para divulgar a mensagem de que “milhares de crianças morrem diariamente à fome”.

António Monteiro, 72 anos, natural de Alcobaça, que integra a congregação franciscana Irmãos de Jesus, regressa hoje ao Vaticano após ter completado mais uma peregrinação passando por Lourdes e pelo Caminho de Santiago até chegar a Fátima, ao longo de quase dois meses de viagem.

Protesta “contra os Governos de todo o Mundo pelas cinco mil crianças que todos os dias morrem de fome. Dizem que não há dinheiro para ajudar, mas para bombas, armas e guerras há dinheiro. Para salvar as crianças não há dinheiro”.

O padre franciscano encontrou ontem abrigo no quartel dos Bombeiros Voluntários das Caldas da Rainha, onde descansou e recolheu donativos para a sua missão.
Formado em Psiquiatria pela Universidade de Coimbra, trabalha como psicólogo num convento em Roma, ocupando-se de 150 crianças abandonadas.
É padre há 22 anos.
Antes foi casado.
Tem oito filhos, 24 netos e um bisneto.

Fonte: Correio da manhã

sexta-feira, janeiro 04, 2008

O sobrino do Cardeal Rouco Varela foi nomeado Bispo

Alfonso Carrasco Rouco, sobrino do Cardeal Rouco Varela, foi noemado Bispo de Lugo.
Monsenhor Carrasco Rouco têm um curriculum académico espectacular e, desde esse ponto de vista, tinha todas as condições para ser um bom bispo. O problema complica-se quando o povo cristão deseja encontrar nos seus novos pastores outras qualidades para além das meramente académicas. Querem bispos que sejam realmente pastores e não apenas doutores...
Estes desejos não têm em si um juizo prévio se o promovido a bispo de Lugo, natural de Villalba como o seu tio o cardenal Rouco Varela, responde ou não a um tal perfil. O tempo se encargará de confirmá-lo ou desmenti-lo; mas não é coisa boa –pelas suspeitas que levanta– que o novo bispo seja sobrino do seu tio.
Não deveriam de ter mais cuidado inclusive com as aparencias?

quinta-feira, janeiro 03, 2008

Querem retirar os nomes de santos e de santas...

Segundo o Jornal Correio da Manhã, foram dadas indicações para evitar referências religiosas nos estabelecimentos...
Alguns movidos talvez pelo ódio ou pela inveja (os primeiros lugares do ranking foram mais uma vez ocupado por escolas católicas) querem passar uma esponja por tudo o que cheire a "Igreja", a "religião"...
Sabem me dizer o que é a Associação Republica e Laicidade, quem representa, quantos associados têm e por que é que lhe dão tanta importância?
Já agora gostaria de fazer um exercicio. Quem nome propõe:
Palácio de São Bento...
Mosteiro dos Jerónimos...
Torre dos Clérigos...
Mosteiro de Tibães...
Convento de Cristo de Tomar...
Santa Eulália...
Freguesia dos Anjos
Bairro da Ajuda
Hospital de Todos os Santos...
Hospital de Santa Maria
José Socrates...
Almeida Santos...
Teixeira dos Santos
Emblema do "Belenenses" - a Cruz de Cristo;
Bandeira de Portugal....
Interessante, teremos nomes suficientes?
E os portugueses estarão dispostos a perder a sua cultura e a ignorar as suas raízes?
Estarão dispostos ter que alterar o BI só porque uns poucos alterar 30% da toponimia?!!!
Qual o problema em estudar na Escola do Alvaro Cunhal ou do Afonso Costa?
O Beato Nuno Alvares Pereira não foi tão ou mais português do que qualquer um destes?
O cardeal D. Henrique, S. João de Deus, S. António de Lisboa não dizem mais aos portugueses, não fazem parte da nossa história e cultura? Porque não os podemos recordar. Só porque estes portugueses escolheram ser religiosos e não ateus ou agnósticos!!!
Tenham juizo e respeito...

Zapatero tremeu....

A Igreja mobilizou 2 milhões de pessoas... e José Luis Zapatero tremeu...

Passa o tempo a atacar a família, a defender o aborto, os casamentos homossexuais e a Igreja tem de estar caladinha e quietinha porque, os católicos não tem liberdade de defender outros pontos de vista. Só aqueles que foram eleitos é que podem exprimir a sua opinião... os defensores da liberdade não conseguem ouvir os outros e por isso facilmente os acusam de conservadores, arcaicos e integristas.
E para exprimir opinião é preciso ir ás urnas: "se os Bispos querem fazer politica estão no seu direito, mas têm de se apresentar nas urnas", dizia José Blanco, nº 2 do partido. Mais chegam a afirmar que a Igreja "se afastou dos fundamentos essenciais da democracia", pois só a sociedade "tem poder para ordenar os principios da liberdade individual".
Que noção confrangedora de democracia...
Fonte: correio da manhã

terça-feira, janeiro 01, 2008

O primeiro dia livre do fumo dos outros

Que bom... ao entrar no café não encontrei cinzeiros nas mesas, nem a nuvem de fumo que tanto me imcomodava... às vezes, entrava tomava o café e saia logo a seguir...
Que bom... o ano 2008 devolveu a liberdade aos não fumadores. Afinal os não fumadores é que não eram livres (fumavam passivamente)!!! Não havia lugar para eles... A decisão de fumar é uma decisão livre, por isso os fumadores não tem o direito de argumentar que a sua liberdade não está a ser respeitada... Quantas vezes é que os fumadores antes de acenderem um cigarro te pediram licença? Como era desagradável estar a almoçar num restaurante e ao lado alguém se lembrava de fumar sem ter em conta as pessoas que estavam ao lado a comer...