segunda-feira, março 31, 2008

A verdade histórica da Ressurreição

Deixemo-nos conquistar pelo fascínio da Ressurreição a primeira depois da Páscoa, dedicada a explicar o sentido da fé em Cristo ressuscitado. Bento XVI destacou que a verdade histórica da Ressurreição é amplamente documentada, apesar de hoje, como no passado, não faltar quem a coloca em dúvida ou a nega.

"Iluminados pelo Espírito Santo, os membros da Igreja primitiva começaram a proclamar o anúncio pascal abertamente e sem medo. E este anúncio, que passou de geração em geração, chegou até nós e ressoa todos os anos na Páscoa com potência sempre nova. Assim, a cada domingo, a comunidade revive a Páscoa do Senhor e recebe do Salvador o seu testamento de amor e de serviço fraterno. Caros irmãos e irmãs, que a alegria desses dias torne ainda mais salda a nossa fiel adesão a Cristo crucificado e ressuscitado".

Porque é que aceitamos com facilidade os argumentos de quem nega a ressurreição de Jesus e somos reticentes às mais de 500 testemunhas directas da ressurreição?

quinta-feira, março 27, 2008

IMPRESSIONANTE: Tony Melendez

Empresa discográfica mundial contrata monges



A empresa discográfica Universal Music assinou um contrato sem precedentes com um grupo de monges austríacos que interpreta música gregoriana e que se tornou conhecido através do YouTube.
Os monges cistercienses da Abadia da Cruz Sagrada, localizada a quinze quilómetros de Viena, Áustria, integrarão um CD de canto gregoriano que começará a ser gravado no próximo mês e que será distribuído a nível mundial no final deste ano.

A audição dos religiosos, que responderam a um anúncio que procurava intérpretes de canto gregoriano, decorreu através do YouTube. A escolha fez-se entre centenas de cncorrentes.

Um responsável da Universal constatou que apesar de os monges pertencerem a uma Ordem com mais de 900 anos, estavam a par dos últimos desenvolvimentos na internet e nos meio de comunicação digitais. "É uma música belíssima e eles estão a usar o que há de mais recente para que a sua música seja ouvida".

Os lucros do CD serão investidos na formação aos noviços.

quarta-feira, março 26, 2008

terça-feira, março 25, 2008

A cultura do facilitismo, da irresponsabilidade e da impunidade veio para ficar

Esta cultura de facilitismo, de irresponsabilidade, de impunidade, de desautorização dos pedagogos e educadores, das pessoas experientes e sabedoras, de laissez faire , laissez passer só conduzem, como estamos a verificar, à decrepitude das normas de civismo, da ética, da moral e do respeito mútuo que deve existir entre os povos e os habitantes de uma nação.
Que sociedade queremos construir?
Não podemos esperar nada de bom quando são estes os critérios...

As violações da liberdade religiosa é uma realidade ainda hoje

Segundo o relatório apresentado pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre, as notícias não são muito positivas:
  • na Ásia, o panorama é de perseguições e torturas a quem acredita.
  • Na metade Norte de África, regimes islâmicos mais ou menos tolerantes para com as minorias também não escapam à lista negra.
  • No topo dos países violadores, estão a Coreia do Norte, a Arábia Saudita e o Laos.
A Ásia é o continente onde a liberdade religiosa é mais violada e onde crentes de todas as religiões são perseguidos, torturados e pressionados por causa da sua fé. No triste pódio da lista estão a Coreia do Norte, a Arábia Saudita e o Laos. .

Apesar do "mistério" que envolve o que se passa na Coreia do Norte, as notícias que chegam "falam de perseguições brutais", apenas porque se é crente ou se foi apanhado a ler a Bíblia ou a falar de Deus. Budistas e cristãos são especialmente perseguidos no país e relegados para o último lugar no que se refere a oportunidades de emprego, formação ou ajudas alimentares. O texto diz que, desde a instauração do regime comunista, em 1953, terão já desaparecido 300 mil cristãos. Actualmente, há umas 100 mil pessoas nos campos de trabalho e não escapam à perseguição os refugiados norte-coreanos na China.
Talvez os ateus possam pensar um pouco mais antes de falarem das religiões...

Na Arábia Saudita, o relatório nota pequenas mudanças positivas, nomeadamente na possibilidade de reunião dos muçulmanos xiitas na parte oriental do país - o mesmo não acontece em outras zonas. Mas, apesar desses sinais, continuam "as restrições relativas à imprensa, à importação do estrangeiro e à distribuição de material religioso xiita, bem como a proibição de emitir programas religiosos xiitas".

Dois egípcios cristãos que tinham sido presos acabaram libertados por intervenção do príncipe Sultan bin Abdul-Aziz, mas este terá declarado no momento da libertação: "Nós dizemos aos cristãos: dentro de vossa casa, vocês e as vossas famílias adoram quem quiserem. Mas aqui na Arábia Saudita nunca houve nem haverá uma igreja."

O Laos é, por seu lado, "uma das poucas nações onde o Governo declarou expressamente que pretende eliminar os cristãos", considerando o cristianismo "uma religião estrangeira imperialista". Um dos alvos principais é a etnia Hmong, cujos membros, em muitos casos, aderiram ao cristianismo protestante, e que acabam expulsos das suas terras, perseguidos e torturados.

O panorama asiático é desolador em muitos países:
  • cinco estados da Índia adoptaram leis anti-conversão, e sikhs, cristãos e muçulmanos são vistos "como ameaças" pelos extremistas hindus. Um destes, Dilip Singh Judev, afirmou que pretendia "reconverter ao hinduísmo, por todos os meios, 300 mil cristãos".
  • No Afeganistão, apesar da ocupação militar estrangeira, "a situação das mulheres não melhorou".
  • No Bangladesh, há áreas "limpas etnicamente" com a expulsão dos não-muçulmanos.

Nas Filipinas, as áreas controladas pelos movimentos extremistas de guerrilha sujeitam as minorias cristãs a pressões e acabam por dar argumentos às autoridades para atribuir um "papel desproporcionado" ao exército e às polícias, que também participam na violência e na corrupção.

Na Indonésia, são também os conflitos locais - no Aceh ou nas Molucas - que criam problemas entre cristãos e muçulmanos.

No Iraque, a ocupação norte-americana exacerbou a violência inter-religiosa e a comunidade mandeísta (que venera São João Baptista) está a ser vítima de perseguição: mais de 80 adeptos já foram mortos.

Na Malásia, o Governo apreende Bíblias.

Myanmar reprime os monges budistas que defendem os direitos humanos.

No Sri Lanka são monges budistas que incitam a população contra organizações cristãs.

No Turquemenistão, o Código Penal pune as actividades de protestantes, católicos, muçulmanos, judeus, bahá ís, testemunhas de Jeová e hare krishna, tolerando apenas actividades a cristãos ortodoxos e muçulmanos sunitas.

No Vietname, a repressão acontece sobretudo nas áreas rurais: "O Governo, empenhado na reconstrução económica do país, não quer chamar a atenção dos seus parceiros comerciais e das autoridades internacionais para a falta de respeito pelos direitos humanos".

Olhando para o mapa-mundo das violações, há três grandes manchas:

  • na Rússia e em alguns países do Leste Europeu e da Ásia Menor, são as legislações repressivas que atingem sobretudo minorias religiosas.
  • na China e região envolvente (além do Turquemenistão e de Cuba) são os regimes comunistas - mais ou menos tolerantes - que não deixam os crentes sossegados.
  • no Norte de África e em algumas regiões da Ásia (incluindo Indonésia) são regimes islâmicos que, com maior ou menor gravidade, violam a liberdade dos restantes credos (ou das correntes islâmicas minoritárias). Acresce que, além desta caracterização, há países que são atingidos ainda por conflitos violentos.

A Ajuda à Igreja que Sofre é uma instituição católica vocacionada para o apoio às igrejas do Terceiro Mundo. Desde há cinco anos que publica este relatório anual, que pretende ser aconfessional e independente.

AFINAL os ateus e os regimes ateus não são assim tão tolerantes como dizem ser...

segunda-feira, março 24, 2008

Bento XVI baptizou egípcio convertido do Islamismo

Bento XVI baptizou este Sábado o egípcio Magdi Allam, convertido do islamismo, que actualmente vive e trabalha na Itália, como editorialista do Corriere della Sera.

Allam foi um dos sete adultos baptizados na Vigília Pascal deste ano, a celebração mais importante do calendário católico. O Papa também costuma administrar o Baptismo na festa do Baptismo do Senhor, mas neste caso a um grupo de crianças.

O director da sala de imprensa da Santa Sé. Pe. Federico Lombardi, referiu numa declaração oficial que “para a Igreja Católica, qualquer pessoa que peça para receber o Baptismo após uma profunda busca pessoal, uma escolha plenamente livre e uma preparação adequada, tem o direito de recebê-lo”.

O grupo deste ano incluía, para além de Allam, adultos de vários países (Itália, Camarões, China, EUA e Peru), que “cumpriram o necessário caminho de preparação espiritual e catequética, que na tradição cristã se chama catecumenato”.

A declaração sublinhava que o Papa administra o Baptismo sem fazer “acepção de pessoas”, dado que todas são “igualmente importantes diante do amor de Deus e bem-vindos à comunidade da Igreja”.

Numa carta que dirigiu ao seu diário, Allam afirmou que, muito para além do terrorismo, "a raiz do mal é inerente a um Islão psicologicamente violento e historicamente conflituoso".

Este novo cristão, que tem protecção policial, por causa das ameaças de morte que os seus artigos já lhe valeram, lamentou que "milhares de muçulmanos convertidos sejam obrigados a esconder a sua fé por medo de serem mortos pelos terroristas islâmicos".

Fonte: ecclesia.pt
Os muçulmanos reclamam liberdade religiosa dentro da Europa, mas em quase todos países de maioria muçulmana não há liberdade, as conversões não são permitidas, os cristãos tem de viver a sua fé às escondidas, não é possível construir Igrejas...
PORQUÊ?

sexta-feira, março 21, 2008

Alguém explica aos alunos como é que se deve estar na escola?


Alguém explica aos alunos como é que se deve estar na escola?
Como é que se deve tratar os professores?
É pesada, de facto, a cruz dos professores.
Onde estão os pais?
Onde estão as famílias?

quarta-feira, março 19, 2008

Não estaremos a cair na tentação de alterar a fisionomia do Evangelho para atrair as pessoas

O sacerdote não pode cair na tentação de alterar a fisionomia do Evangelho para atrair as pessoas.
"Passá-lo por uma forma que o faça quase irreconhecível, para que assim o possam aceitar melhor os jovens. Além de ser uma fraude, em vez de autenticidade dá-se-lhes a caricatura. Em lugar do pão da Palavra, alimentamo-los com doutrinas estranhas".
A tentação de tornar o Evangelho mais suave, menos radical e exigente não leva a lado nenhum... nisso estou completamente de acordo.
E TU?

A marginalização dos sacerdotes

O cardeal-arcebispo de Sevilha, D. Carlos Amigo Vallejo, assegura que os sacerdotes sofrem uma "indefinida sensação" de marginalização sob o ponto de vista social e que também experimentam "grandes vazios" que, "não poucas vezes, o fazem sofrer o indizível".
O sacerdote vê-se "prisioneiro" de muitas limitacões humanas, intelectuais, pastorais e, sobretudo, espirituais.
"É um estranho, alguém diferente, alguém de outro povo. A isto soma-se a solidão ministerial". "Essas, reais ou imaginadas crenças, podem chegar a provocar uma lamentável degradação da auto-estima".
QUE FAZ A IGREJA-INSTITUIÇÃO para que o sacerdote não se sinta marginalizado e recupere a auto-estima? A solução apontada é a oração. Não esquecerá o lado humano?

terça-feira, março 18, 2008

Não tenho pecados

Quantas e quantas vezes ouvimos esta frase: "eu não tenho pecados".
As pessoas perderam a noção de pecado. O pecado relativizou-se. Se para mim é pecado, para o meu vizinho o mesmo facto, a mesma coisa pode não ser. Depende da noção de cada um, das ideias, dos principios, dos valores, dos desejos. E pergunto eu: onde se encaixa a Palavra de Deus? E aquilo que dizemos na confissão é sincero: "pequei por pensamentos, palavras, actos e omissões".

Se as pessoas dizem que "não tem pecados", quando vão à Eucaristia deviam comungar. Porque não o fazem? É que a comunhão é a partilha de Deus connosco, é o alimento da vida cristã. Quem não tem pecados não devia deixar de comungar.

Talvez para alguns, não seja moderno comungar ou ir à missa.
Não está na moda.
Isso é de velhos, para os velhos e acabados, ou a acabar.
Infelizmente são muitos os que pensam assim...

segunda-feira, março 17, 2008

Os combustiveis estão mais baratos...

O Gasóleo vai chegar a 1,5 euros/litro. PORQUÊ? Qual a razão?

Em 2002, um barril de petróleo andava pelos 70 Dólares.

Em MARÇO 2008, anda pelos 100 Dólares mas, 1 Euro vale 1,5 Dólares, ou seja 1 Euro equivale a 0,65 Dólares.... Ora, 100 Dólares, são 65 Euros!

O QUE É QUE JUSTIFICA OS SUCESSIVOS AUMENTOS DOS COMBUSTÍVEIS???????.... É uma grande mentira e ninguém faz nada. Até a própria comunicação social contribui para que isto aconteça. Não esclarece os portugueses, não realça o facto de o dolar estar a desvalorizar, não denuncia as petroliferas com este facto!!! Porquê?

Com todo o respeito que tenho pela profissão de professor acho que este assunto merecia uma manifestação maior. E em vez de ser só em lisboa devia ser em todo o país! O combustível faz mover o país, aumenta o pão, a comida, os transportes públicos...

VALE A PENA PENSAR NISTO.

sexta-feira, março 14, 2008

Apagam-se as velas acesas pelo arcebispo iraquiano encontrado morto

Apagaram-se as “velas” que os católicos iraquianos haviam acendido na Internet por Dom Faraj Paulus Rahho, arcebispo caldeu de Mosul, cujo corpo enterrado foi encontrado quinta-feira.
A iniciativa de acender uma vela “virtual” através da página web gratefulness.org foi lançada pela Baghdadhope, um blog realizado por alguns católicos iraquianos, para romper o muro de silêncio que muitos meios de comunicação haviam levantado sobre a sorte do arcebispo sequestrado no dia 29 de Fevereiro.
Foi “um gesto de solidariedade” para manter alta a tenção de todos sobre o episódio que não teve particular eco nos midia”, explicava a agência dos bispos italianos, SIR. A proposta seguia o apelo à oração lançado várias vezes, nos dias passados, por Bento XVI e pelos bispos iraquianos.
É impressionante a filtragem que alguns midia fazem...
Quais os critérios, os objectivos?
Pelo menos a Internet está ao dispor de todos

quarta-feira, março 12, 2008

Absolvições gerais?

O debate no seio da Igreja ainda continua...
As leis da Igreja são muito especificas e rigorosas quanto à possibilidade da "confissões colectivas". Regra geral, não são permitidas. Só excepcionalmente e nos casos previstos pela lei.
Nesta quaresma, D. Jorge Ortiga, arcebispo de Braga, resolveu intervir reafirmando que: "só a confissão pessoal com absolvição individual é permitida". E acrescenta: "se algum sacerdote age de maneira diferente está contra a comunhão eclesial".

Os professores e o futuro do país

«Os professores e educadores são um grupo decisivo para o futuro do País, mais decisivo do que os políticos, técnicos e financeiros» afirmou o Cardeal Patriarca numa entrevista à RR.

terça-feira, março 11, 2008

Bispos dos USA lançam blogue para acompanhar a visita do papa

A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB) lançou esta Segunda-feira um blogue que acompanhará os preparativos e a visita do Papa ao país, que acontecerá entre 15 e 20 de Abril.


Veja aqui

Deixemos então os pecados e falemos do mal e da sua dimensão social

D. Carlos Azevedo afirma que "a noção de pecado é aplicada ao contexto e ao tempo, como é referido no catecismo da Igreja, porque não é novidade considerar pecado grave a pedofilia, o aborto ou um atentad ambiental".
D. Carlos Azevedo realçou o facto do pecado ter passado da exclusiva dimensão pessoal para a dimensão social, explicando que "mais do que em si mesmo, está no feito social que encerra".
  • Poluição do ambiente;
  • Pedofilia;
  • Aborto;
  • Riqueza desmesurada;
  • Tráfico do droga;
  • Manipulação genética.

O Governo alemão lança uma campanha para promover a natalidade e realçar o valor da família

É uma campanha fantástica realizada pelo Goberno Alemão. Sem falsos moralismos e ideologias, os alemães reconhecem que o futuro está na familia e a renovação nos filhos. Sem crianças nenhuma sociedade têm futuro... passamos o tempo a discutir não sei o quê e vemos o país a envelhecer, aldeias a desaparecer, o interior a desertificar-se e o que fazem os políticos?
NADA...
Se o Governo Português abrisse os olhos, talvez...

A secularização põe em risco a Fé e a Igreja

A secularização conduz a uma mentalidade na qual Deus está ausente, deforma a fé cristã a partir do interior e em profundidade e, por consequência, o estilo de vida e o comportamento quoatidiano dos crentes, condicionados pela cultura da imagem que impõe modelos de negação prática de Deus.

A “morte de Deus”, defendida por tantos intelectuais em décadas passadas, lugar a um culto estéril do indivíduo. A Igreja deve reagir demonstrando a dignidade da pessoa humana e a sua liberdade, a igualdade entre todos os homens, o sentido da vida e da morte e do que nos espera após a existência terrena.

O diálogo entre ciência e fé é o caminho para um confronto com a formulação iluminista e tecno-cêntrica que negam precisamente a dimensão transcendente do homem.

sexta-feira, março 07, 2008

Protestar, protestar, protestar...

Protestar CONTRA ....
a ministra;
os professores;
os alunos;

E faltam SOLUÇÕES....

para o sistema de ensino em protugal;

para promover os que realmente tem mérito;

para uma escola de e com valores.


A República precisa de crentes

A senadora mais votada na história do Senado Espanhol, em representação dos socialistas catalães por Barcelona, abandonou aquele cargo, por incompatibilidade com a actual política de seu partido, o PSOE, difundindo uma nota através da agência Europa Press.

Mercedes Aroz anunciou a sua conversão ao cristianismo e afirmou corajosamente que a sua postura choca com as leis do Governo, "O meu actual compromisso cristão me levou a opor às leis do Governo que chocam frontalmente com a ética cristã, como a regulação dada à união homossexual ou a pesquisa com embriões, e que em consciência não pude apoiar. Em consequência, impunha-se a decisão que tomei".

Mercedes Aroz disse, em declarações à Europa Press: "Eu quis tornar pública a minha conversão para sublinhar a convicção da Igreja Católica de que o cristianismo tem muito a dizer aos homens e mulheres de nosso tempo, porque há algo mais que a razão e a ciência. Através da fé cristã, chega-se a compreender plenamente a própria identidade como ser humano e o sentido da vida".

Ser cristão é seguir princípios e valores que nenhum partido pode limitar... quando isso acontece só há uma solução... SAIR.
Uma mulher corajosa...
Um verdadeiro exemplo para muitos cristãos.

quinta-feira, março 06, 2008

Qual o teu programa?

Promover os amigos
Combater os inimigos
Aplicar a lei aos indiferentes...

Sabem quem é que pensava assim?
Não será que muitos politicos da nossa praça copiaram este lema...

O silêncio, por vezes, não é a melhor solução..

"Quem cala não diz nada,
quando pode e deve falar
parece que consente".

Assim diziam com razão os nossos antepassados.

O rapto do Bispo Católico não foi noticia... porque será?

Enquanto se aguardam notícias sobre o estado do Arcebispo católico raptado no Iraque a 29 de Fevereiro, multiplicam-se os apelos em favor de D. Paulos Faraj Rahho, vindos dos mais diversos quadrantes.

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, enviou uma mensagem de solidariedade ao patriarca de Babilónia dos Caldeus, Cardeal Emmanuel III Delly, afirmando que “atacar os cristãos significa atacar os próprios iraquianos".
Também o Núncio Apostólico no Iraque e na Jordânia, D. Francis A. Chullikatt, se manifestou em favor da libertação de D. Rahho, considerando "triste" que nenhum governo ocidental se posicione condenando este acto e faça apelo pela libertação do prelado.


"É triste constatar como esta notícia não tenha espaço nas páginas dos jornais. Quando os direitos humanos são violados, não existem fronteiras".

As negociações prosseguem, mas ainda não há garantias sobre as condições de saúde do Bispo, raptado à saída da igreja do Espírito Santo em Mossul, no Norte do país. Três jovens que acompanhavam o Arcebispo foram assassinados no local.

Fonte: ecclesia

quarta-feira, março 05, 2008

Recorrer a padre para nos confessarmos?

Gostaria de ler algumas opiniões acerca da razão de que devemos recorrer a um padre para nos confessarmos!

terça-feira, março 04, 2008

O conceito de LIBERDADE para Zapatero

Zapatero disse no fim-de-semana que está disposto a "pôr os pontos nos is" com a Igreja, caso vença no Domingo. Para o lider socialista, a Igreja está a interferir no debate politico.
A liberdade de opinião é um bem a defender quando as opiniões expressas estão de acordo connosco ou se não estiverem de acordo connosco, não manifestem a sua opinião. É realmente o conceito de liberdade de alguns politicos

Não haverá guerra de água benta

D. Januário Torgal Ferreira, bispo das forças armadas, porque completou 70 anos passou à reforma ou pelo menos, segundo as regras que regem os funcionários publicos, deveria ter-se reformado aos 64 anos. Mas isso não aconteceu... "o que faltava agora era uma guerra de água benta".
Quando interrogado sobre o tema, dá uma resposta interessante: "Se sair terão de arranjar um sucessor. Não é dificil fazer bispos. O que é dificil é fazer padres".

sábado, março 01, 2008

"Cristãos" só no casamento e nos funerais

Há toda uma geração que só recorre à Igreja no casamento e no funeral. No resto da sua vida vive de costas voltada para a sua fé. Diz que a Igreja faz tudo para os acolher. Faz o quê?

É uma atitude. Nós estamos a valorizar muito toda a prospecção dos actos sacramentais, toda a proposta de uma catequese nessas ocasiões. A Igreja é um sinal. Nós não temos medidas para saber como é que uma pessoa se sente interpelada no seu íntimo. Há casos muito curiosas de pessoas que ouviram a palavra e só muitos anos depois é que isso dá fruto, numa auto revisão da vida, num momento de sofrimento, com o próprio envelhecimento, num momento de doença ou pura e simplesmente de evolução interior. Vem portanto aí a verdadeira frase de São Paulo: ‘Uns são os que semeiam, outros os que colhem’.
A Igreja não pode de maneira nenhuma ter os critérios de eficácia das empresas humanas: traçar objectivos, defender mecanismos para os atingir e avaliar resultados. Na Igreja isso não dá.
Agora é um facto que na Europa, sobretudo na Europa Ocidental, há muitos que falam no oposto da cristandade, que houve um afastamento sobretudo numa linha de uma secularização.
Hoje é uma questão cultural, e é uma questão de Antropologia em que muitos dizem que o Homem mais depressa pensa que se pode resolver sozinho, com as suas forças, do que acredita em Deus e sabe que Deus é uma força da sua vida.
Entrevista do Cardeal ao Semanário SOL.