terça-feira, outubro 23, 2007

Padre precisam-se. Sim ou não?

Padres... com que perfil?
Qualidade vs Quantidade.
A origem das limitações de acesso à carreira.
Vantagens e desvantagens do modelo actual.
O sentido de ser padre na sociedade portuguesa no sec XXI.
Paradigmas culturais.
Perspectivas futuras.

8 comentários:

  1. Padres, precisam-se!
    Simples, humildes e com muito amor á Cruz!

    ResponderEliminar
  2. Faço minhas as palavras do anónimo.

    E acrescento que também preciso haver fiéis simples, humildes e com amor à cruz.

    Assim, acabariam de certeza as guerras entre pároco e fiéis...

    beijos em Cristo

    ResponderEliminar
  3. "A transmissão da fé não passa apenas pelos pastores. Passa por toda a comunidade cristã. É fundamental, na Igreja portuguesa, a urgência da formação de cristãos adultos. Há um investimento grande na catequese da infância e adolescência, mas formar agentes da nova evangelização é mais difícil. É uma das lacunas da Igreja em Portugal."

    A missão específica dos padres: "Verem-se livres de tarefas adjacentes que foram acumulando ao longo da história. Têm alguma dificuldade em se desprenderem do que acumularam. Um padre não tem que ser gestor de centros sociais. O padre não tem que ser administrador dos bens de uma paróquia ou diocese. O padre não tem que ser o burocrata de serviço da paróquia. A sua missão específica é evangelizar e formar cristãos. Ser mistagogo. Esta é outra dimensão que tem sido descuidada."

    "...alguns tópicos importantes a sublinhar: a urgência da formação de adultos; os padres apostarem na sua missão específica; valorização da espiritualidade; necessidade de experiências provocantes da fé; nova configuração da presença da igreja na sociedade e a urgência da igreja não fechar os olhos aos problemas dos mais carenciados da sociedade."

    D. Carlos Azevedo, Secretário da Conferência Episcopal Portuguesa

    http://www.agencia.ecclesia.pt/noticia_all.asp?noticiaid=52083&seccaoid=6&tipoid=228

    ResponderEliminar
  4. Continuo a sentir que um dos maiores desafios que nos é feito, quanto à nossa identidade sacerdotal, nos vem pela «pena» de Enzo Bianchi, naquele pequeno livro que nos dirige, chamado «Aos Presbíteros». Vale a pena ler. Do melhor que tenho encontrado; com muitas pistas de reflexão e de resposta às questões aqui colocadas.
    Abraço.
    Pe. Carlos

    ResponderEliminar
  5. "Faz o que Deus espera de ti
    Faz sem medo de te enganares
    Se essa Voz que tu ouves te faz vibrar
    É a Voz desse Pai, Pai de Amor
    Por isso faz (hoje e sempre faz)
    O que Deus espera de ti!"
    João Paulo Vaz

    ResponderEliminar
  6. Estou convencido que mais que padres, precisamos de "homens de Deus"!

    ResponderEliminar
  7. Poesia de Dom Helder Camara)

    Que importa, que ao chegar
    eu nem pareça pássaro!
    Que importa se ao chegar
    venha me rebentando
    caindo aos pedaços,
    sem aprumo
    e sem beleza!...
    Fundamental
    é cumprir a missão
    e cumpri-la
    até o fim!..."

    ResponderEliminar
  8. Que pergunta esta?! Claro que são precisos!

    Eu preciso muito do meu padre! Estou muito bem servida.

    Quanto ao perfil do padre, a igreja deveria investir no perfil do meu e estou certa que a felicidade imperaria em todas as paróquias.

    Teodora

    ResponderEliminar