sexta-feira, novembro 30, 2007

Eu gostava que todos os Padres:

  • me anunciassem a Palavra de Deus;
  • fossem modestos e vivessem com simplicidade;
  • soubessem calar-se quando outros falam e soubessem falar quando os outros ficam mudos;
  • rezassem, fossem profundos e me fizessem participar dessa profundidade;
  • tivessem tempo, como eu sinto que deviam ter, agora e amanhã;
  • fossem a garantia do tempo que Deus tem para mim;
  • fizessem perguntas e tivessem dúvidas.

Mas... não gostava nada, mesmo nada, de os ver enlouquecer... Porque andam tantos tão deprimidos?

E TU GOSTAVAS QUE OS PADRES...

4 comentários:

  1. E TU GOSTAVAS QUE OS PADRES...


    Eu gostava que os padres casassem, tivessem filhos como as pessoas normais e não andassem a disseminar ódios e preconceitos religiosos baseados num livro a que atribuem origem divina.
    Enfim... que arranjasem um emprego decente e fossem uteis à sociedade... é pedir muito?!

    ResponderEliminar
  2. Eu, sendo padre, gostava de ser tanta coisa que ainda não sou... Mas também já não me atemorizo perante tantas «propostas» do que deveria ser o padre. É que muitas vezes pede-se ao padre que seja um super homem, que seja um anjo, que seja... eu sei lá, um santo! E em relação aisto concordo; mas é uma santidade que se constrói, não um dom adquirido num momento.
    Não se veja aqui qualuqer justificação; mas sim um deafio, com pés assentes na terra. Sobretudo, não se peça ao padre que seja aquilo que cada um não consegue ser. Os ideais valem para todos. E aqui há uma igualdade fundamental: todos chamados à mesma santidade, cada um segundo a sua condição de vida!
    Pe. Carlos

    ResponderEliminar
  3. eu gostava que os padres fossem um exemplo de virtudes éticas e morais.

    ResponderEliminar
  4. Eu gostaria muito que os padres não ficassem mudando de uma cidade para outra. Quando fazemos amizade e confiamos muito em um padre, super amigo, super gente boa e que faz muito pela a comunidade, ele vai pra outro lugar e nos deixa sem chão, sei que é necessário ele ir pregar em outros locais onde precisam dele, mas é como se tirassem alguém da família da gente que sabíamos, poder contar sempre. Estou muito triste, pois isto aconteceu aqui na minha paróquia.

    ResponderEliminar