domingo, dezembro 30, 2007

Cristãos, Muçulmanos e Judeus defendem família tradicional

A defesa da “família tradicional” uniu representantes Cristãos, Muçulmanos e Judeus na Internacional de Doha (Qatar.
O documento final do encontro, a “Declaração de Doha”, sublinha que “a família é a célula natural e essencial da sociedade”, pedindo-se aos governantes que “promulguem e apliquem políticas que reforcem a estabilidade do casamento”.

A “Declaração de Doha” frisa a importância de “atender às normas religiosas e morais que contribuem para a estabilidade cultural e o progresso social”.
Itálico
O Cardeal Alfonso López Trujillo, Presidente do Conselho Pontifício para a Família, afirmou que a família é uma Instituição anterior ao Estado, defendendo que “nenhum governo tem o direito de mudar a definição de família ou de matrimónio”.

“Em todas as culturas e religiões há uma verdade presente: a família está baseada no matrimónio, o único lugar válido e apropriado para o amor conjugal”.


No Dia da Festa da Sagrada Familia, afirmemos a nossa convicção na importância da familia e dos valores da familia para a sociedade.

A Conferência de Doha, que comemora o décimo aniversário do Primeiro Ano Internacional da Família, examinou o parágrafo 3 do artigo 16 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, onde se lê: “a família é o elemento natural e fundamental da sociedade e tem direito à protecção da sociedade e do Estado”.

1 comentário: