quarta-feira, abril 30, 2008

Sobem os combustiveis, sobem os alimentos...

Tudo sobe e continuamos a dizer que o país vai bem.
Não percebo porque é que as empresas pretoliferas tem lucros extraordinários e os combustiveis já subiram 14 vezes este ano.
Não percebo porque é que deixaram de subsidiar e apoiar os agricultores para produzirem e agora dizem-nos que há falta de matérias primas.
Não percebo porque é que os bens essenciais não são subsidiados pelo Estado... É incrivel!!! Na Alemanha, na França, em Espanha... os bens essenciais são mais baratos (ou pelo menos mais acessiveis) do que em Portugal
Alguém me explica para onde é que vão os nossos impostos?
Para o TGV, para o Aeroporto, para a terceira ponte sobre o Tejo, para projectos megalomanos que hipotecam o nosso futuro durante os próximos anos. Não há umas migalhas para apoiar e incentivar os agricultores a produzir e há milhões para gastar neste projectos...
É um país inclinado para o litoral que queremos construir?
É um país onde o fosso das desigualdades continua a crescer?
E a Igreja não tem uma palavra a dizer? Onde estão as vozes proféticas?
Não haverá nada a fazer?

3 comentários:

  1. "porque não és frio nem quente, vomito-te da minha boca", cito de cor o Apocalipse.
    Mas não é esta a situação da nossa Igreja Portuguesa?
    Basta visitar o ecclesia para se ter a ideia do que vale esta Igreja. Uma Igreja em concha, preocupada com os seus movimentos, as suas orações, as suas profissões, os seus eventos eclesiais... Para fora dela, NADA ou quase nada...Entretanto foi o tão celebrado João Paulo II que disse que o caminho da Igreja é o homem! Contudo não cessam de nos recordar que a Igreja não existe para si mesma, mas como enviada de Cristo ao mundo, como instrumento de salvação. Lindas palavras. Actos?
    Temos hoje uma hierarquia muito simpática (no geral), muito sorridente, que enche a boca com a misericórdia de Deus, que procura agradar a gregos e a troianos, mas vazia de profetismo e quando tenta algo nesse campo o faz logo numa linguagem tão vaga e difusa que afasta qualquer profetismo...
    Prefiro a Igreja espanhola, embora demasiado conservadora, é clara e assume-se.
    Rocha

    ResponderEliminar
  2. Veja-se a aprovação de contas em assembleias camarárias e percebe-se o quanto as autarquias atriram porta fora o dinheiro dos impostos!

    A Camâra Municipal de Famalicão aprovou a contribuiçaõ de 15 000€ a uma Associação motar num só semestre.

    Isto é uma pequena amostra do vai pelo país!

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde Padre inquieto:
    Estou a tentar mandar-lhe um e-mail mas o padreinquieto@hotmail.com
    dá sempre erro, alterou o e-mail?
    Obrigada
    Gostamos muito do seu blog, sempre com assuntos muito polémicos!

    ResponderEliminar