quarta-feira, abril 09, 2008

Escândalo na Austrália: Pai e filha vivem relação incestuosa e tiveram um bebé

Pai e filha apaixonaram-se depois de 30 anos sem se verem.
A Austrália está chocada com um caso de incesto.
Um homem vive com a filha e têm um filho em comum.
Uma família feliz. Pai, mãe e filhos de anteriores relações, a que se juntou, há nove meses a pequena Celeste, o bebé que John e Jenny tiveram em comum.
Só que o quadro, aparentemente normal, esconde um segredo, guardado durante muito tempo e que agora veio a público. John, de 61 anos é o actual companheiro de Jenny de 39. Mas é, também, o seu pai. Jenny não cresceu com o pai, que deixou a anterior família quando a filha tinha um ano. Durante décadas os dois não se viram até que Jenny achou que os filhos precisavam do avô. Mas o reencontro não foi o que esperavam. John e Jenny vivem com os dois filhos do anterior casamento dela e, depois de uma primeira tentativa, que não resultou, tiveram a bebé Celeste que tem no pai e no avô o mesmo homem.
Os psicólogos dizem que o caso de John e Jenny, embora chocante, é muito mais comum do que se possa pensar. Um tribunal australiano está a estudar o caso desta família e destes dois adultos, acusados de incesto e a quem já foi imposta a proibição de terem relações sexuais.
Fonte: SIConline

16 comentários:

  1. O Vale do Ave, do Sousa e a zona de Barcelos tem muitas histórias tristes de vilações entre portas (com conhecimento das mães).

    Se o país quisesse saber a realidade deste país, eleborava um inquérito bem estruturado, e entregava-os aos padres, professores e médicos de família.

    O país não quer saber a verdade! E os socretinos muitos menos!

    ResponderEliminar
  2. O QUE EU ACHO É QUE HOJE AS FAMILIAS ESTAO TAO SEPARADAS JÁ NAO SAO COMO A UNS ANOS ATRAZ A PROPRIA SOCIEDADE ESTA A DESTUIR A QUELA ÚNIAO OS LAÇOS FAMILIARES EU ACHO QUE SE PERDEU AQUELA LIGAÇÃO EMBORA EU A TENHA COM A MINHA

    ResponderEliminar
  3. Isto faz-me lembrar alguns trechos bíblicos, ond o incesto é considerado normal.

    ResponderEliminar
  4. Não tem nada haver é só olhar á nossa volta e ver a triste realidade

    ResponderEliminar
  5. A Bíblia recolhe o bom e o mau, as virtudes e os pecados. Isto não quer dizer que estes seja aprovados, apenas que esta realidade existia...

    ResponderEliminar
  6. Mas quem é que tem alguma coisa a ver com uma relação entre dois adultos?

    ResponderEliminar
  7. Em relação à Bíblia, os relatos bíblicos de incesto não são apenas relatos neutros - há uma "natural" aceitação bíblica do incesto, desde que seja para um fim maior.

    Afirmar que o incesto é uma questão exclusiva dos dias de hoje é algo de bastante fora da realidade e completamente disparatado.
    Muito pelo contrário - na sociedade actual - estou a falar obviamente na sociedade ocidental , laica e democrática em que vivemos, há muito menos casos de incesto, abuso sexual de menores e pedofilia do que existiam há apenas cem anos atrás.

    Este tipo de discursos calamitosos sobre os dias de hoje são um bocadinho vazios . Mas se gostam mesmo do tema, leiam o velho Eça de Queiroz.

    ResponderEliminar
  8. Génesis 19,30-36

    ResponderEliminar
  9. Não leiam a Bíblia à letra. Não o fazemos em relação aos Lusiadas, não o fazemos em relação aos Maias porque o fazemos em relação à Biblia quando ela não é um livro histórico ou cientifico, mas teológico. Recordemos as palavras de Jesus Cristo: "eu porém digo-vos". Deus caminha com os homens, Deus vai-se manifestando aos homens e vai procurando que os homens sejam cada vez mais perfeitos...
    Os livros AT só podem ser correctamente entendidos à luz do NT. Não esqueçamos que a Bíblia recolhe tudo o que há de bom e de mau na vida dos homens. O bom para seguirmos e o mau para evitarmos...

    ResponderEliminar
  10. Já agora o texto é tirado de um artigo da SIConline...
    E o "bom senso", o geral das pessoas acha que isto não está bem ainda que sejam dois adultos.
    Por sermos adultos não podemos fazer tudo o que nos apetece, senão o estado laico não pode dizer que existe uma minima para se casar... estaria a limitar a nossa liberdade, que não pode haver casamento entre irmãos... etc

    ResponderEliminar
  11. "E o "bom senso", o geral das pessoas acha que isto não está bem ainda que sejam dois adultos."

    O "bom senso" sempre disse que as mulheres eram inferiores e que os pretos não podiam casar com brancos e outras barbaridades do género. Por isso a humanidade questiona o "bom senso" para ver se existe alguma razão séria para uma posição.

    Além disso há uma diferença entre considerar-se que uma coisa é má e considerar-se que os tribunais devem intervir.

    No caso do incesto livre entre adultos não vejo qualquer razão para intervenções externas. Tal como não creio que a lei deva proibir a homossexualidade ou o adultério.

    ResponderEliminar
  12. Eu concordo inteiramente com a Ca! Eu acho que ninguém tem nada a ver com o que os outros fazem.

    Podem até foder com com os bichinhos!

    ResponderEliminar
  13. Claro que se falarmos de poluição, mesmo sendo eu adulto, os outros já se incomodam... já não sou livre de poluir apesar de ser adulto...
    E podiamos apontar muitas outras limitações à minha liberdade... velocidade, etc
    Porque?

    ResponderEliminar
  14. Caros anónimos

    Estão ligeiramente confundidos ao misturarem actos que obviamente prejudicam terceiros (poluição, velocidade, etc.) com actos que não prejudicam claramente terceiros (trelações entre adultos). A menos que queiram definir quais as relações que podem ter lugar. Em tempos proibiam-se casamentos interraciais com muitos argumentos pitorescos do género dos que querem agora invocar mas não chegam a invocar.

    Têm argumentos melhores? Venham eles.

    ResponderEliminar
  15. Nós estamos todos confundidos. Eu cá por não tenho argumentos.

    Eu acho bem, toca a ir a todas!

    ResponderEliminar
  16. è complicado....Mas realmente, se não está a prejudicar aos outros, não deve ter interferência. O direito de um vai até onde não prejudica o direito do outro. Não temos direito de decidir pelos dois, se isso não nos afeta. Tem um porém e fica a questão: talvez eles usem o argumento de que isto irá promover mais casos de incesto nas famílias. Acho que este argumento é tão ilógico quanto ao que é usado ao casamento de homossexuais. Ninguém faz uma coisa de que já não tivesse vontade. Jmais eu iria ter relações com homens só porque isso é liberado. Nem com minha irmã. Com relação à Bíblia, mais complicado e isto até me deixou um pouco confuso...Abraão era casado com a própria irmã, teve um pai que transou com as próprias filhas que o embebedaram. E se não fosse do aprêço da bíblia, estes homens não seriam abençoados, pois todos os homens que estão na bíblia que são considerados injustos, morrem ou são destruídos. Teve até protesto contra a bíblia em Hong Kong por causa disso. Para mim, deve ter uma explicação melhor, acredito que muitas partes deste maravilhosos livro não nos foram reveladas pelos homens. O próprio Novo Testamento parece fragmentos de uma história incompleta. è só ler e vai ver que está incompleto.

    ResponderEliminar