quarta-feira, fevereiro 02, 2011

Uma jovem na OT americana: disseram-me que abortasse, mas o meu bebé «é o melhor que me aconteceu »


Na passada Quinta-Feira, a mãe solteira Paris Tassin compareceu para uma audição no Ídolos Americano (“American Idol”), no Estado de Louisiana nos Estados Unidos da América. Quando se encontrava aí, ela contou, com lágrimas, a sua decisão de continuar con uma gravidez não planificada e de alto risco.
Tassin tinh 18 anos quando soube que estava grávida. O bebé sofria de hidrocefalia, uma doença caracterizada pela acumulação de fluido dentro do crânio.

“Os médicos disseram-me que eu não devia pari-la, e que as coisas correriam bem se a tivesse,” disse Tassin. Apesar disso, ela recusou submeter-se a um aborto, e disse que a sua filha Keira é agora uma criança de quatro anos de idade e muito saudável. A única complicação médica que surgiu é a de que Keira sofre da perca de audição, e por isso tem que usar próteses auditivas.

“Ela é a melhor coisa que me aconteceu na minha vida", disse Tassin. "Eu canto para ela.”

Tassin impressionou os juízes com “A minha casa temporal” (“Temporary Home”) de Carrie Underwood. A canção fala àcerca dos desafios de uma mãe solteira. Ela foi seleccionada para continuar continuar no concurso, que irá decorrer em Hollywood, no Estado de California.
Pressionada para abortar... Susan Boyle,
Pressionada para abortar... Andreia Bocelli, grande tenor italiano;
Pressionada para abortar... o jogador do Barcelona e do Real Madrid, Michael Laudrup;
Pressionada para abortar... o actor cómico "Chespirito";
Pressionada para abortar... o bispo Galeone, missionário nos Andes;
Pressionada para abortar... a Wolfgang Amadeus Mozart, génio musical

Sem comentários:

Enviar um comentário