sábado, fevereiro 12, 2011

Bento XVI: Padres não devem viver isolados

Vida comunitária «significa aceitar a necessidade da própria conversão contínua».

Bento XVI reafirmou hoje que os padres não devem viver “isolados” mas “em pequenas comunidades”, proposta que não pode ser entendida como uma “estratégia” para responder à “carência de sacerdotes”.

Referindo-se à importância da vida conjunta, Bento XVI declarou que “viver com outros significa aceitar a necessidade da própria conversão contínua e sobretudo descobrir a beleza desse caminho, a alegria da humildade, da penitência, mas também da conversa, do perdão recíproco, do apoio mútuo”.

A defesa da vida comunitária dos padres tinha sido sublinhada no livro "Luz do Mundo - O Papa, a Igreja e os Sinais dos Tempos” (2010), que resulta de uma entrevista de Bento XVI ao jornalista alemão Peter Seewald.
Agora que o Papa o diz, talvez alguns Bispos emendem a mão e os seminários, de uma vez por todas, apostem numa educação para viver em comunidade através do exemplo dos seus responsáveis e da análise dos candidatos que desejam ser sacerdotes. Não podemos continuar a sublinhar as palavras do Papa que nos agradam e a menorizar aquelas que não queremos por em prática.
Olhem o que acontece com advertência que o Papa tem vindo a fazer sobre o «carreirismo» desde o início do seu pontificado... ninguém lhe dá importância... pois não tiramos as devidas consequências... e acabam por ser premiados!

Sem comentários:

Enviar um comentário