quinta-feira, dezembro 23, 2010

O poder do mais forte

Hoje o mais forte não é quem tem o exército, mas quem tem a televisão e a sedução.
Por isso depois vê-se que neste mundo tão tolerante e livre, toda a gente pensa igual. Vêem os mesmos noticiários, têm as mesmas opiniões, indignações e aplausos, riem-se das mesmas piadas que a televisão lhes fornece. É tudo igual.

Então nos jovens isto chega ao limite.
Hoje os jovens são muito rebeldes, mas segundo a rebeldia que o mercado lhes vende em doze suaves prestações mensais. Todos rebeldes da mesma maneira. É espantoso como os jovens hoje julgam-se rebeldes seguindo cegamente a ditadura de umas empresas que querem encher os bolsos à sua custa. Todos têm de ter os chapéus, calças, filmes, sites, blogs, séries, músicas, etc. Se não tiverem sentem-se mal e os que têm atacam os que não têm. Isto é sinal de uma escravidão face a empresas que querem encher os bolsos.


Descrito desta maneira percebe-se claramente a vergonha do que está a acontecer. Mas como todos estamos debaixo deste encantamento, ficamos antes preocupados com os complexos do jovem que não tem o chapéu, em vez de o ensinar a libertar-se e a afirmar sua personalidade deixando de comprar e usar o que todos usam.

Sem comentários:

Enviar um comentário