quarta-feira, março 04, 2009

A Igreja está a ignorar o cisma silencioso dos católicos que continuam a sair da Igreja?

Jacques Galliot, um bispo que foi destituido do seu cargo por João Paulo II em 1982, da diocese francesa de Évreux, critica a decisão do Papa Bento XVI por ter levantado a excomunhão a 4 "bispos integristas" da Fraternidade Sacerdotal São Pio X (FSSPX).

Segundo a sua opinião, este é o primeiro passo que poderá levar à plena reintegração dos Lefevrianos. Esta medida é um desastre. As declarações do bispo negacionista é um duro golpe para os nossos irmãos judeus e para o diálogo judaico-cristão.
E adverte que a IGREJA está a ignorar o grande cisma silencioso dos católicos que paulatinamente saem da Igreja. Que deficit para a Igreja Católica!
Porque não existe, da parte de Roma, a mesma preocupação com este cisma silencioso?

4 comentários:

  1. nesta Quaresma gosto de me manter no silêncio, nestas e noutras, mas sendo eu católica apostólica romana , tenho uma palavra a dizer , não por falta de respeito, em quem estamos sufregar sua época.Mas vou dizer o que sinto: Acho que os padres ou seja o Papa que esta á frente de Roma havia de romper, o mais depressa possivél com essa lei celibatária, mais dia menos dia não temos sacerdotes ou até seminaristas no seminario, para fazer suas obrigações apostólicas, isso de cebatario havia de ser facultativo, e não ser , uma condenação pork a Igreja e o direito canonico, não tem lei para que o sacerdote venha a cumprir, tal coisa isso sao eles ke impoem a eles, próprios tal atitude , acho melhor a Igreja tomar a serio coisas dessas de que padres venham a cometer também como homens devaneios mto pouco ortodoxos, e assim sujam a suas próprias, vidas .Temos os pastores Envangélicos ke optaram por via do matrimónio quem kis, e não deixam de ser RESPEITADOS

    ResponderEliminar
  2. E qual é a igreja que nos tempos presentes não sofre esse tipo de cisma?

    Camilo

    ResponderEliminar
  3. Para quê casarem? Eles assim continuam livres.Fazem o q bem entendem.Os padres são homens! Continuam a cometer desvaneios, só q querem esconder esse pecado.
    Mas existem excepções!

    Tem razão casualidade.

    ResponderEliminar
  4. O celibato dos padres pode gerar, nos tempos actuais, falta de candidatos aos seminários, não por falta de vocações, mas por discordância ou não compreensão deste rigor de imposição de uma cláusula que é meramente disciplinar e não doutrinária. Mas não é isso que faz com que milhares de católicos "vão paulatinamente" saindo da Igreja. O que me parece é que os membros da estrutura hierárquica da Igreja estão numa crise de profunda incoerência, entre si e em relação aos valores e preceitos evangélicos - o Amor agápico (geralmente traduzido por "Caridade" nas traduções da Bíblia) tão bem descrito por S. Paulo, parece ser colocado em segundo plano, em favor de preocupações acessórias com ritos, opções políticas, normas e figurinos, que podem impressionar pelo espectáculo, mas nada acrescentam ao Grande Mandamento: Amar a Deus e ao próximo, com toda a capacidade e todas as forças.
    Acabei de ler o feroz pedido de excomunhão para a família de uma menina de 9 anos, violada pelo padrasto, a quem foi feito aborto por estar grávida de gémeos e ainda não ter atingido a maturidade física (e psicológica, calculo...) para enfrentar a situação sem risco da própria vida. Pergunto-me se esta atitude de um bispo é de alguma maneira tradução de uma centelha de Caridade....
    Claro que é um problema gravíssimo, mas a miséria humana resolve-se com excomunhões? Jesus Cristo, que não condenou a mulher adúltera e garantiu o paraíso ao ladrão da cruz ao lado, teria tido esta atitude?? Quem crê que sim?
    Como católica que sou, muito me dói tudo isto...
    É que entre a Moral (pseudo-moralidade?) e a Ética há um passo que faz a diferença - e é esse passo que a igreja precisa dar.
    LMA

    ResponderEliminar