segunda-feira, setembro 15, 2008

Bento XVI fala da laicidade positiva

A Igreja não reivindica "o lugar do Estado” nem quer substitui-lo, assegurando que o Vaticano tem todo o desejo de respeitar a “originalidade da situação francesa”. As raízes cristãs da França, “permitem a cada habitante do país compreender melhor de onde vem e para onde vai”.


“No quadro institucional existente e no maior respeito pelas leis em vigor, é preciso encontrar um novo caminho para interpretar e viver no quotidiano os valores fundamentais sobre os quais se construiu a identidade da nação” francesa.

O Papa lembrou aos Bispos que foi o próprio presidente Sarkozy quem “evocou essa possibilidade”.

“Uma sã colaboração entre a comunidade política e a Igreja, realizada na consciência e no respeito da independência e da autonomia de cada um no seu próprio domínio, é um serviço prestado ao homem”.

Na passada Sexta-feira, Bento XVI advogara a necessidade de “uma nova reflexão sobre o verdadeiro sentido e a importância da laicidade”, num encontro em que Nicolas Sarkozy reafirmou o desejo de uma “laicidade positiva”, conceito que tem gerado uma onda de reacções em todos os quadrantes políticos franceses.
Fonte: ecclesia

4 comentários:

  1. Creio que no título «Bento XVI fala do laicismo positivo» há um lamentável «lapso», que felizmente não existe na notícia, mas que existiu em alguns jornais. O Papa falou de «laicidade positiva», não de «laicismo positivo». Por definição, o laicismo é negativo.

    Alef

    ResponderEliminar
  2. O laicismo só é negativo para quem tem objectivo de talibanizar o país

    ResponderEliminar
  3. “Uma sã colaboração entre a comunidade política e a Igreja, realizada na consciência e no respeito da independência e da autonomia de cada um no seu próprio domínio, é um serviço prestado ao homem”.


    Nem mais...



    beijos em Cristo e Maria

    ResponderEliminar
  4. Vejam como se comporta Hugo Chavez...

    ResponderEliminar