terça-feira, novembro 23, 2010

Bento XVI: "Os sacerdotes não podem viver isolados"

Sobre o celibato, Bento XVI afirmou que talvez "pode ser mais fácil se se constituem comunidades de sacerdotes". Segundo manifestou o Papa, é importante que os sacerdotes "não vivam isolados mas que estejam juntos em pequenas comunidades, onde apoiem experimentem o estar juntos no seu serviço a Cristo".
Mas quem quer escutar as Palavras do Papa?!!!
A educação e formação dos Seminários continua a esquecer esta dimensão... muitos programas pastorais e pouco trabalho em equipa...!!! Muito carreirismo e pouco companheirismo!!!

4 comentários:

  1. "...muitos programas pastorais ..."

    Concordo em absoluto com tudo o que foi dito, menos com "muitos programas pastorais".
    O seminário podia e devia ser o laboratório pastoral da diocese. Será que é?
    Carreirismo, cabeções e batinas, vénias litúrgicas, isso sabem. Fantasia pastoral... não consta que exista.
    O Seminário acolhe os jovens deste tempo, com a mentalidade do tempo: individualista, ausência de universalismo, falta de grandes ideais... Mas não deve o seminário formar "contra a maré"?
    Nos últimos tempos, ouvi jovens cá fora a queixar-se dos seminaristas.
    "Nas reuniões com outros jovens ainda são menos criativos do que os restantes. Só se preocupam se é litúrgico ou não é..." - dizia uma.
    E outro jovem afirmava: " Os seminaristas que conheço não conseguem manter uma conversa a sério sobre os problemas actuais. Refugiam-se em frases feitas, numas citações bíblicas, em generalidades... Não há pensamento estruturado."
    Muito liturgismo e carreirismo nos seminários. Pouquíssima fantasia da cariodade e da pastoral.
    Ausência de trabalho em equipa.
    É tempo de os bispos e presbitérios olharem a sério para o seminário. É mesmo urgente mudar!

    ResponderEliminar
  2. Agradecia que esclarecessem de que seminário(s) estão a falar?

    ResponderEliminar
  3. Concordo com tudo o que está escrito neste artigo. Penso que hoje mais que nunca os nossos sacerdotes necessitam de se sentir apoiados tantos pelos outros padres como também pelos elementos das comunidades paroquiais.
    É necessário mudar-mos as nossas mentalidades e tentar mudar o que se diz pelas nossas comunidades. Também penso que se na verdade se constituíssem comunidades de sacerdotes isto traria garantidamente menos solidão para os nossos párocos.
    Penso que nos Seminários se ensina a trabalhar em equipa, mas actualmente os jovens vivem "sedentos" de «muito carreirismo e pouco companheirismo», de muitas aparências e de dar nas vistas. E por isso acabam por se tornar mais egoístas e levar uma vida solitária e individual, esquecendo como é bom a vida em comum com os outros.

    Espero que continue com o excelente trabalho que realiza neste blogue.

    R.C.

    ResponderEliminar
  4. Sim Sim, é mais fácil juntar todos os problemas num só canto. Enfiar o barrete do apagador do senso comum, leva a mais solidão e hipocrisia.
    Falar de seminários também é mais fácil fechar tudo outra vez, para que as consciências não se alterem. Quando será que a Igreja vai ouvir a sociedade, em vez de dizer que os problemas estão na sociedade, vendo nela um inimigo em vez de a escutar

    ResponderEliminar