segunda-feira, novembro 23, 2009

A tolerância da maioria ou a intolerância da minoria?

Um dos pontos da agenda do lobby homoxessual é fazer passar tantas leis anti-discriminação que se torna muito difícil ou até impossível agir contra um homossexual.
  • Senhorios, condomínios, donos de bares, etc, que em dada altura quiseram de alguma forma afastar um ou mais homossexuais pelo mau ambiente ou problemas causados, acabaram até por ser condenados como litigantes de má fé ao abrigo das aludidas leis anti-discriminação promovidas pelos homossexuais…
  • Em New Jersey todas as Igrejas estão obrigadas por lei a dar todos os sacramentos aos homossexuais, incluindo o sacerdócio e o casamento. A lei proíbe os pastores e padres de fazer homilias contra a homossexualidade e proíbe os cidadãos de fazer boicotes a empresas que promovam a homossexualidade. Depois de várias batalhas jurídicas, os tribunais aceitaram que as igrejas, mas as igrejas somente, ficam –for now—dispensadas de cumprir esta lei…
  • A Diocese de Mineapolis expulsou o grupo Dignity, um grupo pró-homossexualidade que se diz católico, do seu Campus Ministry Newman Center. Por causa disso, e com base numa lei que proíbe a discriminação dos homossexuais, a Diocese foi condenada a pagar seis mil contos de indemnização, ao grupo e à cidade.
  • Na Suécia um pastor fez uma homilia sobre Sodoma e Gomorra e o resultado foi um mês de cadeia por, alegadamente, ter praticado “violência verbal” contra os homossexuais.
  • No Hawai é proibido perguntar qual a orientação sexual de alguém que se pretende contratar. Esta proíbição aplica-se a jardins infantis, escolas ou igrejas, os quais ficam impedidos de despedir o homossexual, ainda que ele comece a abusar das crianças. Mas se houver crime, a creche, a escola ou a Igreja é que são responsabilizados pelos actos dos seus funcionários…
    E depois acontecem coisas do tipo: no Minnesota um padre católico foi condenado a um ano de cadeia por ter recusado contratar como professor de crianças um homossexual com um longo cadastro de abuso de menores.
  • Os escuteiros dos EUA expulsaram um membro por (descobriram pelos jornais) ele ser líder de uma associação de homossexuais. O caso está neste momento (Abril de 2000) no Supremo Tribunal dos EUA para ser julgado. Os homossexuais pretendem obrigar os escuteiros a alterar o seu regulamento interno e o seu código de conduta. A seu favor têm as leis anti-discriminação de homossexuais.
  • Um bispo anglicano da Califórnia foi afastado da sua diocese por ter pregado contra a homossexualidade.
  • Qualquer estação de televisão do Canadá que permita afirmações anti-gay leva uma multa de 40 mil contos. Esta punição não admite recurso e cabe a homossexuais dizer se alguma estação prevaricou.
  • Para que se veja até que ponto o lobby homossexual manobra eficazmente, convém saber que até no Tratado de Amsterdão conseguiram fazer inserir uma referência à proibição de discriminar pessoas em razão da sua orientação sexual.

Muitas mais coisas se poderiam dizer sobre a homossexualidade mas o que se disse permitirá ajuizar um pouco sobre o assunto… e sobre os seus perigos.

4 comentários:

  1. caro padres inquietos,
    comentarr tal artigo torna-se quase imposssivel... é lobby de ambas as partes: de quem quer aprovar tais leis e de quem negar tal lei. Não é lobby da igreja e de muitos grupos anti-gays a não aprovação desta lei? porque isso é problematico? qual o " perigo" em ser gay? Não é mais problematico criar impedimentos, peas a grupo? nao se é gay por querer; nao falo de suas anomalias... ninguem optou por ser hetero. sera que conseguiremos curar todos os padres?

    ResponderEliminar
  2. de facto eu ja esperava que o meu comentário nao fosse publicado.
    é tambem o seu lobby proteger os bons costumes?

    ResponderEliminar
  3. Este tipo de post é apenas manipulação da informação...
    Não se nega que haja excessos por parte dos lobbies gay, supostamente, em defesa dos Direitos que a todos devem ser reconhecidos...
    Mas, não se pode confundir a Floresta com a árvore, ou com meia dúzia delas.
    Esperava mais do(s) autor(es) deste Blogue, visto que me têm habituado a encontrar nele uma visão assertiva e pluralista sobre as realidades sociais, também na perspectiva da Igreja...

    ResponderEliminar
  4. Continua a ser feita muita confusão entre homossexualidade e preversão do comportamento sexual. Se há estudos que relatam a possibilidade de cura, também há outros que relacionam a homossexualidade com a anátomofisiologia da pessoa e, portanto, a orientação sexual é independente da vontade.
    Não sou homossexual, mas tenho amigos e amigas que o são: pessoas como as outras, sem outras alterações de comportamento.
    Impede-se um(a) homossexual de lidar com crianças, como se a sua condição fosse sinónimo de pedofilia; mas pensem em quantos pedófilos, descobertos como tal, são casados e pais de filhos.
    Recusa-se um emprego a um(a) homossexual que tem uma vida calma afectiva estável... e não se recusa a um hetero instável, sem parceiro fixo..
    Enfim: afinal, desde que a pessoa viva a sua vida com civismo, quem é que tem alguma coisa a ver com quem ela dorme ou não?
    Meter todos no mesmo saco e pôr um rótulo, parece-me inadequado. Dá muito que pensar.
    LMA

    ResponderEliminar