terça-feira, junho 14, 2005

Os dez mandamentos da vida de um padre

  1. É mais importante o que VIVO como padre do que o que FAÇO como padre.
  2. É mais importante o que Cristo faz em mim do que o que eu faço por Ele.
  3. É mais importante que eu viva em comunhão do que isolado.
  4. É mais importante o serviço da Oração e da Palavra do que o serviço das mesas.
  5. É mais importante suscitar colaboradores do que fazer todos os trabalhos sozinho.
  6. É mais importante estar em alguns lugares de uma maneira perfeita e irradiante que estar em todos de uma maneira imperfeita e fragmentária.
  7. É mais importante trabalhar em união que trabalhar, talvez com muita perfeição, mas isolado.
  8. É mais importante, porque mais frutuosa a cruz que o meu sofrimento.
  9. É mais importante estar aberto à universalidade da Igreja do que aos meus interesses particulares.
  10. É mais importante comunicar a fé do que satisfazer todos os caprichos.

16 comentários:

  1. You have been invited by to join a blog called PADRES INQUIETOS.
    Blogger is a free service for easily communicating and sharing ideas on the web.


    Olá, não sei se era intenção de quem tem este blog enviar um "join".
    Porque isso quer dizer que a pessoa passaria a ser parte do blog como "semi-dono" também...

    Ou seja, não é o mesmo que dar a conhecer o blog.

    ResponderEliminar
  2. o objectivo era apenas dar a conhecer o blog. Obrigado pelo esclarecimento. Como posso fazer?

    ResponderEliminar
  3. Bem, eu pensei que era tb para convidar a participar no blog habitualmente como sendo "semi-dono". Entrei como tal e por curiosidade. Amigo. Passa pelo "confessionário" e faremos publicidade. Dá-te a conhecer por lá ou por outros blogs. É uma forma de ires sendo conhecido. Um abraço. Agora vou ter de me desfazer desta sociedade. Quem és? Aparece pelo mail: eupadre@portugalmail.com
    Força... Começamos a ser uns poucos!

    ResponderEliminar
  4. Ainda bem que entraste. Como colega podes fazer parte como "semi-dono". O que eu desejo é que haja muitos colegas a reflectir sobre o "ser padre". Claro que já vesitei o teu blog e gostei imenso. Como posso,se me é permitido colocar mais no meu blog?
    Obrigado pela visita.

    ResponderEliminar
  5. Bem vindo!!!!
    Abraço
    Padre Zé

    ResponderEliminar
  6. Via "confessionário" aqui cheguei.
    Para já, gosto do nome. É sugestivo.
    Para lhe dar as boas vindas, deixo-lhe como prenda um texto retirado do livro de François Varillon "O sofrimento de Deus"

    "Um padre deve ser
    Ao mesmo tempo grande e pequeno,
    Nobre de espírito, como de sangue real,
    Simples e natural, como de estirpe camponesa,
    Um herói na conquista de si próprio,
    Um homem que se bateu com Deus,
    Uma fonte de santificação ,
    Um pecador perdoado por Deus,
    O mestre dos seus desejos,
    Um servidor para os tímidos e os fracos,
    Que não se rebaixa diante dos poderosos
    Mas se curva diante dos pobres,
    Discípulo do seu Senhor,
    Chefe do seu rebanho,
    Um mendigo de mãos largamente abertas,
    Um portador de inumeráveis dons,
    Um homem no campo de batalha,
    Uma mãe para reconfortar os doentes,
    Com a sabedoria da idade
    E a confiança de uma criança,
    Voltado para o Alto,
    Os pés sobre a terra,
    Feito para a alegria,
    Conhecendo o sofrimento,
    Longe de toda a inveja,
    Clarividente,
    Falando com franqueza,
    Um amigo da paz,
    Um inimigo da preguiça,
    Sempre constante...
    Tão diferente de mim!"

    Eu repito: tão diferente de mim! Não sou padre (nem virei a ser), mas como discípula de Cristo; queria ser assim...

    M. Conceicao

    ResponderEliminar
  7. M. Conceição:
    tens sempre a palavra certa e sábia.
    Obrigado
    Padre Zé

    ResponderEliminar
  8. Olá!
    Encontrei-vos por acaso, mas pretendo vir cá comentar sempre que possa. :) Acho uma excelente ideia terem um blog.
    Abraços e até breve!

    ResponderEliminar
  9. Padre Zé,
    obrigada pelo carinho.
    Já agora, vou fazer um pedido:
    Deixo aqui o meu endereço de e-mail e gostava que me mandasse o seu.
    msantosclemente@hotmail.com

    M. Conceicao

    ResponderEliminar
  10. "... tão diferente de mim! Não sou padre (nem virei a ser)" diz a Maria da Conceição.

    Que pena! Quando é que a Igreja pedirá perdão por isso?!

    "mas como discípula de Cristo; queria ser assim..."
    Eu também.

    MM

    ResponderEliminar
  11. Desculpem, mas eu continuo com uma dúvida básica: "tecnicamente" o que faz um padre que esteja vedado a outros - além da consagração e da administração dos sacramentos? E mesmo aqui, falamos basicamente do da reconciliação, não é? Enfim, visto que os bispos tambem são homens, o crisma e a ordenação sacerdotal também... o matrimónio é realizado pelos proprios noivos, o baptismo em caso de necessidade pode (ainda pode? há séculos atrás podia...) ser feito por qualquer um... a extrema-unção, que agora tem um nome mais politicamente correcto, não sei...

    ResponderEliminar
  12. ... é engraçado... sempre pensei que gostaria muito de ser monge... e nunca me vi como um possível padre.

    ResponderEliminar
  13. Mas a grande diferença é que os homens podem, ser isto e aquilo e as mulheres não....
    Só a simples ideia de lhes estar vedada a igualdade dentro da Igreja, é um sentimento castrador!E não venham lá com tretas que podem ser isto ou aquilo, mas não podem ser tudo aquilo que os homens podem e porquê, se nas outras Igrejas cristâs podem? O Cristo não é o mesmo?
    E depois apela-se à história para explicar o inexplicável? Tretas! As mulheres têm mais do que razão para estarem fartas de tantas desculpas esfarrapadas e quanto mais movimentos se desenvolvem no seio da própria Igreja, mais problemas enfrentam. E depois os padres queixam-se que têm muito trabalho? E não se fazem ouvir? E não tentam a mudança? E não reconhecem os mesmos direitos às mulheres? E não lutam pelo capacidade de decidirem se querem ser celibatários ou não? Então bolas, é bem feito que andem de rastos com trabalho porque se queixam mas devem fazer muito pouco por mudar!

    ResponderEliminar
  14. Tens razão Luis!!! queixam~se, queixam-se...e não resolvem o assunto! Pois se até há mais mulheres que homens, pois se já se verificou que as mulheres são capazes de trabalhar ao lado dos homens, sem que nada lhes seja apontado, pois se Jesus quando Ressuscitou no seu Corpo Espiritual...foi às mulheres a quem Ele apareceu primeiro...com certeza que elas também eram seus discipulos...porque razão é que não podem ser ordenadas???
    Será machismo? ou memo que sejam ultrapassados!!!

    ResponderEliminar
  15. Um padre...deve ser antes de tudo HOMEM!!!
    Só assim...poderá chegar honestamente aos corações dos outros homens...
    Só com muito amor e benevolência...esses seres, que se chamam de padres,pastores que querem conduzir o seu rebanho, poderão fazer um trabalho de união e fraternidade, que a nossa sociedade tanto necessita!!!

    ResponderEliminar
  16. Cool blog, interesting information... Keep it UP film editing schools

    ResponderEliminar