sábado, agosto 23, 2008

Actriz de Hollywood num convento de clausura

Nunca é tarde para aprender algo de novo.

A actriz Dolores Hart, foi nada menos do que a primeira a beijar no cinema um jovem chamado Elvis Presley (no filme “Loving you”). O mais surpreendente é que esta actriz, desde há muitos anos, é uma monja de clausura (actualmente, é a prioresa das noviças do Mosteiro Regina Laudis, de Bethlehem, Connecticut).

Preguntam-me sempre por isso, como é lógico”, explica a madre Dolores, que recorda Elvis como “um jovem gentil e tímido, com as orelhas roxas por de ter que repetir a cena do beijo. E eu não sabia quem era, pois naquele tempo não era tão famoso. Achava-o muito simpático porque me chamava menina Dolores. Em Hollywood, só ele e Gary Cooper me chamavam assim. Elvis era um jovem bom e sensível, mas com o decorrer dos anos notava que estava cada vez mais triste e só, terrivelmente infeliz”.
Dolores Hart diz que mesmo antes de ter cumprido vinte anos apercebeu-se que “trabalhar no cinema dava-me menos alegria do que esperava”. Assim, o adeus aos estúdios aconteceu em 1961, depois da rodagem de “Francisco de Assis”, de Michael Curtiz, no qual interpreta o papel de Clara.
Nestes anos, a sua vocação de religiosa de clausura não a impediram de manter o contacto com muitos actores, que vão com frequência ao mosteiro “para encontrar uma resposta à sua confusão e as suas feridas”. E ela está contente por estes encontros serem uma ocasião para reconciliar-se com Deus.

2 comentários:

  1. Um padre católico italiano lançou um concurso na internet para eleger a freira mais bonita de Itália, com o intuito de acabar com os preconceitos que tornam as freiras menos atraentes, noticia a agência Lusa.

    «Miss Freira» é o nome do concurso de beleza idealizado pelo teólogo Antonio Rungi. As religiosas que queiram participar não têm de desfilar numa passerelle, bastando enviar uma fotografia que será depois publicada num site da internet.

    Neste certame só poderão participar freiras com idades compreendidas entre os 18 e os 40 anos, com «fotos bonitas e expressivas, que mostrem a beleza tanto no plano estético como no plano espiritual», segundo o sacerdote.

    Depois de publicadas as fotos, a escolha da vencedora ficará a cargo dos internautas.

    «A imagem que se tem hoje das freiras é de mulheres tristes, desiludidas com a vida e não realizadas», explicou o sacerdote Antonio Rungi, que aspira realizar um verdadeiro concurso de beleza para freiras, no qual os prémios revertam a favor de iniciativas humanitárias.

    ResponderEliminar
  2. Por acaso acho que do que vi em reportagens, as raparigas que foram para freiras tornarem-se menos bonitas. Descuidadas.

    Se olharmos para os padres, facilmente se vê que a maioria anda toda aperaltada. E eu acho bem!

    ResponderEliminar