quarta-feira, janeiro 14, 2009

Casar com muçulmanos pode causar «um monte de sarilhos». Cardeal D. José Policarpo

Dom José Policarpo advertiu as jovens portuguesas que casar com muçulmanos pode causar uma carga de sarilhos. O Cardeal Patriarca de Lisboa diz que «nem Ala sabe onde acabam os problemas». Uma declaração que surpreendeu o auditório do Casino da Figueira da Foz. O Cardeal Patriarca de Lisboa deixa o alerta para as jovens portuguesas: «Pensem duas vezes em casar com um muçulmano, pensem muito seriamente, é meter-se num monte de sarilhos que nem Ala sabe onde acabam», salienta.

Durante a tertúlia 125 Minutos, com Fátima Campos Ferreira, na terça-feira à noite, Dom José Policarpo mostrou estar disponível para dialogar com a comunidade muçulmana em Portugal, mas salientou as dificuldades em conseguir chegar a este objectivo.
Com os judeus e os ortodoxos Dom José Policarpo explica que a convivência até se vai fazendo sem problemas, o mesmo já não acontece com os muçulmanos.
«Estão a ser dados os primeiros passos, mas é muito difícil porque a verdade deles é única. Eles querem o diálogo, estão num país maioritariamente católico, porque como fazem os lobos é uma maneira de marcar os seus passos», adianta.
Fonte: TSF

14 comentários:

  1. Uma amiga minha casou com um muçulmano e os problemas surgiram apenas depois de ele falecer.
    É que, segundo parece, os herdeiros deveriam ser os irmãos dele e não a esposa nem as filhas. Acho que conseguiu safar-se daquele imbróglio mas com alguma dificuldade...

    ResponderEliminar
  2. surfistasmporto14 janeiro, 2009

    Pensem bem só nesta diferença, que acho que diz tudo, para se entender que os muçulmanos não aceitam as diferenças: um muçulmano se for a um templo cristão ninguém lhe impõe regras. Porque têm os cristãos de seguir as regras muçulmanas quando vão a um templo deles? E isso é naqueles em que se pode entrar...

    ResponderEliminar
  3. E, eu acrescento:
    O muçulmano é livre de entrar nas igrejas e de assistir ao culto cristão, mas já o cristão NÃO PODE entrar em todas as mesquitas e ,muito menos,assistir ao culto muçulmano!

    ResponderEliminar
  4. A origem do TABÚ-SEXO

    Nos tempos mais remotos da existência humana, o ser humano viveria duma forma em tudo semelhante à de outros animais mamíferos do planeta Terra. Consequentemente, podemos dizer que, nesses tempos mais remotos, as fêmeas humanas teriam possuído toda a Liberdade e Independência.

    Depois, mais tarde, pela necessidade de luta pela sobrevivência, ou pela ambição de ocupar e dominar novos territórios, alguém fez uma descoberta extraordinária (um truque que permite alcançar uma vantagem competitiva demográfica): A REPRESSÃO DOS DIREITOS DAS MULHERES!
    A Repressão dos Direitos das Mulheres tinha como objectivo tratar as mulheres como uns meros 'úteros ambulantes'... para que as sociedades ficassem dotadas duma Vantagem Competitiva Demográfica!!!
    De facto, quando as guerras eram lutas 'corpo-a-corpo' o factor numérico (número de combatentes disponíveis) era de uma importância decisiva... visto que esse factor era (frequentemente) determinante na decisão das Batalhas (e das Guerras).

    Depois, pela necessidade de luta pela sobrevivência, ou pela ambição de ocupar e dominar novos territórios, alguém fez uma nova descoberta extraordinária: O TABÚ-SEXO!
    O Tabú-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor Rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade!!! De facto, o Ser Humano não é nenhum Extraterrestre: tal como acontece com muitos outros animais mamíferos, duma maneira geral, as fêmeas humanas são 'particularmente sensíveis' para com os machos mais fortes...
    Analisemos o Tabú-Sexo:
    - a sociedade dificultava o acesso das mulheres à independência económica;
    - as mulheres que não casassem eram alvo de crítica social;
    [portanto, como é óbvio, as mulheres eram pressionadas no sentido do Casamento];
    - não devia haver sexo antes do Casamento;
    - as mulheres não deviam procurar obter prazer no sexo;
    - as mulheres que se sentissem sexualmente insatisfeitas, não podiam falar nesse assunto a ninguém, pois o desempenho sexual dos machos não podia ser questionado;
    - era proibido o divórcio.
    Conclusão óbvia: o Verdadeiro Objectivo do Tabú-Sexo eram montar uma autêntica armadilha às fêmeas... de forma a que estas fossem conduzidas a aceitar os machos sexualmente mais fracos!!! Dito de outra forma, o verdadeiro objectivo do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!


    P.S.
    Os Islâmicos reprimem os Direitos das mulheres - elas são tratadas como uns 'úteros ambulantes' - com o objectivo de obterem uma vantagem competitiva demográfica. Se eles não tivessem sido derrotados em 732 D.C. (em Poitiers), hoje em dia todas as mulheres na Europa andavam com burkas enfiadas na cabeça.

    ResponderEliminar
  5. 1-Em resposta ao sr.mjsantos,posso dizer como portugues muçulmano e casado tambem com uma catolica à 26 anos e com 2 filhos que só pode ser pura ignorancia porque os direitos em ambas as religiões tanto na católica como na muçulmana os direitos são da mulher e dos filhos.

    ResponderEliminar
  6. 2-Em resposta ao srsurfistasmporto cada um na sua casa tem as suas regras ou sera que vocemece deixa que outros imponham regras na sua casa??????.....da mesma forma que eu respeito a sua igreija vocemece deve respeitar a minha .

    ResponderEliminar
  7. sr ou sra anpicar fico perplexo....com tanta mentira ....quem quiser assistir às nossas orações pode assistir as nossas igreijas têm as portas abertas para quem quiser entrar...ok????

    ResponderEliminar
  8. Vai aqui uma grande confusão...
    O Sr. Patriarca (de quem discordo um muitas coisas)apenas alertou para uma realidade: qualquer mulher que casa com um homem de outra Religião tem de estar suficientemente esclarecida sobre as consequências da sua decisão... o que não acontece muitas das vezes! O mesmo se diga de um Homem que por amor se quer converter a uma outra Religião para poder viver com a Mulher que escolheu.

    Mas há uma diferença entre a Igreja Católica e, neste caso, a Religião Islâmica: A Igreja Católica tolera os casamentos inter-religiosos (mistos), não obrigando à conversão da parte não-católica. Exige apenas que esta respeite a Fé Católica e a Educação Católica dos Filhos nascidos de um casamento, afinal, Católico.
    Já o Islamismo OBRIGA à conversão!! É uma Lei que é sua e ninguém a pode pôr em causa.

    Por isso tem razão o Senhor Patriarca: pensem duas vezes antes de casar!!

    ResponderEliminar
  9. Estou de acordo no alerta do Cardeal.
    Casar com gente que tenha ideias muito diferentes sobre a dignidade e respeito para com as mulheres, pode ter consequências muito nefastas na sua vida.
    Vivendo na Europa, talvez não seja muito arriscado. Mas se forem para países de maioria muçulmana!...

    ResponderEliminar
  10. Já agora peço para pores o meu blog novo na tua lista de blogues:
    http://vejaparacer2.blogspot.com, se for possível.
    Desde já agradeço.

    ResponderEliminar
  11. É claro que uma mulher pode meter-se em sarilhos se se casar com um Muçulmano, mas também se se casar com um católico. O comentário do patriarca não tem relevância social e está desajustado. O maior perigo para as mulheres portuguesas é casarem-se com homens que as maltratam. Pelo menos um miçulmano não chega a casa alcoolizado e bate na mulher e nos filhos. É muito maior o nº de mulheres infelizes e em sarilhos por se terem ´casado com católicos violentos do que com Muçilmanos, isto em termos de relevância social. Mas claro que as relações entre pessoas de diferentes culturas pode ser muito dificeis. Uma mulher urbana licenciada que se case com um pastor analfabeto do meio da serra vai meter-se num monte de sarilhos, por muito boas pessoas que sejam. Mas no fundo o mais importante num relacionamento são as pessoas, e como demosntrado há casos de relacionamentos felizes entre pessoas de culturas muito diferentes.
    Acho que o Patriarca não disse nada que eu não disissesse a uma filha minha. Ou se calhar podia tê-lo feito num caso particular em privado, mas em público foi falta de bom senso. Depois existe a ignorência, quantos de vós conhece ou é amigo de algum muçulmano? Eu sou amigo de muitos. E sei que como os católicos têm diferentes formas de vivenciar a sua fé. Claro que não gostava de ver uma filha minha casada com alguns mas não me importaria nada de a ver casada com outros, isto independentemente de serem todos boas pessoas. Mas também não gostava de a ver casada com um católico conservador, aí também se meteria numa serie de sarilhos. Já agora, mesmo que fosse permitido pela igreja e ele fosse mais novo não gostaria nada que uma filha minha se casasse com o Cardeal.

    ResponderEliminar
  12. é tudo uma camada de preconceituosos que vai para aqui...

    o meu namorado converteu-se ao Islão, E SINCERAMENTE, de tudo o que ja li e estudei sobre esta religião que é apenas a continuaçao da minha (cristianismo), é de paz e nada esta escrito contra a mulher...alias, Allah (Deus) fez o homem e a mulher a partir do mesmo, e defende a igualdade entre os sexos...é obvio que a mulher em algumas coisas é mais fragil e sensivel...tenham um pouco de bom senso e nao sejam "haters"...O Islão como qualquer outra religião, tem como objectivo a paz e igualdade e o respeito...o Homem é que ao longo dos tempos vai criando leis para seu proprio beneficio, muitas vezes monetario!!!!!!!! Se tenho fé, tenho fé em Deus, e não nos Homens...


    estou a aprender a cada dia que passa e sinceramente sou muito mais feliz desde que descobri o Islão!!!

    ResponderEliminar
  13. Se a igreja catolica em geral se preocupa-se realmente em cativar os seus parroquianos em vez de os afastar, se adapta-se a realidade em que o mundo vive, ter padres que saibam falar e comportar-se, talvez ai tudo seria diferente!
    Eu fui ao baticano e fui ao museo, fiquei muito chacada em ver toda aquela fortuna, toda aquela riqueza.... saber que existe muitas pessoas e principalmente crianças a morrer a fome... Sei que metade de aquela riqueza mata a fome no mundo!!
    Em vez de andar a criticar outras culturas, credos o classes socias, preocupense em dar um bom exemplo a comunidade e ao mundo! O ser humano pode escolher, se a escolha for boa ou não... so a ele diz respeito! Problemas nós todos temos e não precisa de ser uma diferença de religião como o cardeal diz. O maior parte do problema é que não existe confiança, respeito pela pessoa que escolhemos!
    Se alguém pensar casar com um homem ou mulher de outra religião, só dou um concelho... conheçam a cultura e religião de cada um, respeitem-se e sempre falem pois no diálogo é onde podemos resolver a diferença! Tudo é possivel na medida que contribuimos para isso....

    ResponderEliminar
  14. As mulher que disse estar feliz desde que renegou a Jesus, apos conhecer o isla, devo dizer que voce ainda vai sofrer muito por ter feito esta escolha.So senhor Jesus salva e ninguemm mais

    ResponderEliminar