sábado, janeiro 17, 2009

250 anos depois da expulsão dos Jesuitas em Portugal

Há exactamente 250 anos, o Marquês de Pombal preparava os procedimentos legais e religiosos para, após a tentativa de atentado ao rei D. José e a execução dos Távoras, eliminar a presença da Companhia de Jesus de Portugal e, se possível, erradicá-la do mundo inteiro.
Encontrado o motivo que buscava para satisfazer o seu desejo, o Marquês ordenou, a 19 de Janeiro de 1759, o confisco dos bens da Companhia e ordenou a prisão domiciliária dos 300 membros da Companhia de Jesus, fazendo entretanto decorrer um processo que no dia 3 de Setembro do mesmo ano decretava a sua expulsão definitiva.
Depois da expulsão de Portugal, outras nações fizeram o mesmo, até que em 21.07.1773, um breve de Clemente XIV extingiu a Companhia de Jesus. A ordem só sobreviveu na Rússia sob a protecção da czarina Catarina II, que não rubricou o breve da supressão. A 7.08.1814 foi restaurada pelo papa Pio VII.
No século XVIII eram 300 em Portugal. Hoje, em Portugal ,são 171 e se contarmos os que estão no exterior o número sobe para 265 membros.
Apesar de todas as tentativas, o Marquês de Pombal não evitou o regresso da Companhia de Jesus a Portugal...
Fonte: Diário de Noticias

3 comentários:

  1. O Marquês de Pombal peocedeu para com os Jesuitas como o Correia de Campos para com o Serviço Nacional de Saude: Ambos tentaram destruí-los sem ter nada para os substituir!

    ResponderEliminar
  2. Grande Marquês...

    ResponderEliminar
  3. Grande Marquês...

    ResponderEliminar