terça-feira, agosto 10, 2010

Os sacerdotes rejuvenescem quando se reformam

Os sacerdotes dedicam toda a sua vida ao serviço de Deus e aos fieis. Nunca deixam de estar disponíveis, porém também eles envelhecem.
Que fazem os sacerdotes quando se reformam?
A que é que dedicam o seu tempo?
Quem cuida deles? Onde vivem? O seu serviço à Igreja continua.

Pensemos e recordemos aqueles sacerdotes que durante muitos anos dedicaram toda a sua vida aos outros. Eles também envelhecem, mas nunca deixam de estar ao nosso serviço.
  • Antonio Sancho, um sacerdote reformado, com setenta e sete anos, apesar de está numa cadeira de rodas, transparece uma tremenda alegria de espírito e apresenta-se disponivel para todo aquele que queira falar e rezar con ele.
  • Florencio Díaz, tem oitenta e seis anos, está doente mas sente-se muito feliz e adaptado à casa. Com as suas limitações dá-nos generosamente o seu testemunho. Humildemente diz que cada pessoa tem a sua vida e que compreende que com o trabalho diário seja complicado para alguns colegas encontrar o momento adequado para acompanhar e partilhar con eles um pouco do seu tempo. O seu testemunho é uma mostra de dar sem esperar nada em troca.
  • Tomás Correas, dedicou toda a sua vida à Pastoral do povo. É um artista. Tomás cria quadros sobre o cobre com fogo em cada ano realiza uma exposição. Aos oitenta anos está estupendamente, têm uma vitalidade maravillosa e contagia-nos com a sua alegría. O seu quarto un estudio de pintura que irradia vida e luz.

O que fazemos e como tratamos aqueles sacerdotes que dedicaram a sua vida à Igreja...

Fazemos melhor do que a sociedade faz com os reformados ou tratamo-los como um peso para a sociedade e para a Igreja?

Porque é que que alguns sacerdotes rejuvenescem quando se reformam?

4 comentários:

  1. Penso que será uma reforma bem merecida depois de passar uma vida inteira a "tirar" os pecados dos outros temos finalmente tempo para os nossos.

    ResponderEliminar
  2. Boa reflexão!
    É assustador pensar que alguém que se deu (literalmente) ao outros durante a vida, possa estar sozinho, ou abandonado, ou esquecido numa qualquer casa...

    ResponderEliminar
  3. joão machado18 setembro, 2010

    Este tema, merece uma boa reflexão sobre a ultima parte da vida de um Sacerdote.
    Um Sacerdote é formado, depois é enviado,para uma outra localidade que por vezes não conhece para cumprir a sua missão evangelizadora.
    Sim! Deixa a sua familia,mas para mim adquiriu outra aínda maior, que será ésta ultima familia que terá que lhe dar todo o apoio, que é a sua comunidade paroquial. Esta familia paroquial, tem éssa obrigação para que nunca se venha a sintir só na ultima faze da sua vida terrena.

    ResponderEliminar
  4. boa depois de reformados é que eles se vingam...daquilo que a revista sábado apresentava no artigo e bem clara eram as afirmações ou melhor "confissões sexuais" tiradas do blog do Pe. Jorge Castela...o confessionário..

    ResponderEliminar