quarta-feira, julho 01, 2009

A onda de integrismo ou saudosismo com a capa da fidelidade na Igreja católica



CERIMONIA EN LONDRES.


Sua Eminencia o Cardeal Keith Patrick O´Brien, revestido com traje coral e capa magna, acode à igreja da Ordem de Malta em Londres, Reino Unido, no passado dia 26 de Junho, dia da festa de São João Baptista.






PRIMEIRA MISSA NA ALEMANHA.

Bençãos depois da primeira Missa dum novo sacerdote da Fraternidade Sacerdotal de São Pedro, recentemente ordenado na Baviera, Alemanha. A Fraternidade de São Pedro está dedicada exclusivamente à Forma Extraordinaria do Rito Romano.

5 comentários:

  1. Magnífica, a capa do cardeal O’Brien! Faz-nos logo recuar ao tempo em que o Senhor Jesus Cristo andava de alparcas pela Terra...ecoa a Sua voz nos nossos corações:
    “Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus” (Lc 6,20”
    “Ai de vós que agora estais saciados, porque tereis fome” (Lc 6, 25)
    “Nem todo aquele que diz ‘Senhor, Senhor’ entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que pratica a vontade de meu Pai que está nos Céus” (Mt 7,21)
    E muito, muito mais disse...
    Senhor, tem piedade de nós, que somos cegos e surdos!
    LMA

    ResponderEliminar
  2. Mas porque não bastará "revestir-se de Cristo"(Rom 13,14)?

    ResponderEliminar
  3. LMA, num comentário ao post anterior disse "Não julgueis, para não serdes julgados", e neste vai buscar frases do Evangelho (a das bem-aventurança ainda por cima adulterada, porque a expressão correcta é os "pobres de espírito") para fazer a acusação, o julgamento e a sentença.

    Só mostra que é um risco ir buscar frases até aos sítios mais santos, só com o objectivo de nos dar razão, esquecendo a visão global dos planos de Deus.

    ResponderEliminar
  4. Caro João Silveira,

    Como sabe, há mais do que uma tradução dos textos bíblicos. E a "expressão correcta", muitas vezes é uma incógnita.
    Não sei que exemplar da bíblia é o seu, mas a transcrição que fiz é da BÍBLIA DE JERUSALÉM (uma das melhores e mais didáticas que conheço), 7º Ed., Julho de 1995. Confira, por favôr: página 1940.
    Eu apenas estava a comparar e a reflectir. O meu amigo, pelo contrário, acusa-me injustamente de adulterar os textos...
    Não pretendo ter razão. Nem sequer creio que dos planos de Deus faça parte uma Igreja ostentatória, para divulgar a Boa Nova de Seu Filho, que dizia de Si mesmo não ter uma pedra onde reclinar Sua cabeça. Eu sinto-me na "Igreja dos pobres", é para ela que pende o meu coração e o meu entendimento. A ostentação é um insulto à miséria de milhões de irmãos, uma brecha na Caridade/Ágape.
    Mas pronto... entenda como puder.
    LMA

    ResponderEliminar
  5. Creio em Jesus, Filho de Deus, que assumiu nossa natureza humana, nascendo em uma pobre e humilde família de Nazaré. Que teve como primeiro berço uma manjedoura e que esteve ao lado de seu pai adotivo, José, em atividades laborais igualmente simples e humildes. Que teve como discípulos pescadores iletrados e que exalavam o suór de qualquer outro trabalhador da época. Que teve como mãe uma simples e modesta moça da Galiléia. Que em tudo foi igual às pessoas deserdadas da sorte de sua época, menos no pecado. Que, ao morrer na cruz, foi despido de sua única túnica. Que se identificava com os pobres e marginalizados. Que, na última ceia, deu-nos o exemplo de como deve ser a vida cristã: colocar-se a serviço de todos, fazendo-se o menor dentre todos. Clérigos cheios de pompa e que adoram ostentar seus adornos e adereços crêem no mesmo Cristo?

    ResponderEliminar