sexta-feira, abril 10, 2009

Tentações dos padres

Homilia do Arcebispo de Évora nda Missa Crismal
O exercício da comunhão eclesial e presbiteral exige atitudes de vigilância. Pois ninguém, nem mesmo aqueles que foram eleitos por Deus para serem “servos da comunhão eclesial” estão isentos de tentações.
E são muitas as tentações que podem insinuar-se na vida dos presbíteros.
  • A tentação do individualismo, da ostentação e do isolamento auto-suficiente que podem levar à incapacitação para a comunhão presbiteral.
  • A tentação do autoritarismo para a qual S. Pedro nos adverte na sua primeira carta (5,3), com palavras sábias e inspiradas: não exerçais o poder “como donos daqueles que vos foram confiados, mas como modelos do rebanho”.
  • A tentação da demissão que leva à negligência, por preguiça ou por medo de desagradar. Não é aos homens que temos de agradar mas sim a Deus. Por essa dificuldade também S. Paulo passou, mas ele soube vencê-la. Ouçamos o que escreveu aos cristãos da Galácia (1,10): “porventura procuro aprovação dos homens? Se eu procurasse agradar aos homens não seria servo de Cristo”. Como ele, também nós, se queremos ser servos de Cristo, não podemos reger-nos por critérios humanos. O nosso ideal não pode ser agradar aos homens mas estar ao serviço dos homens nossos irmãos e, de modo especial, estar ao serviço daqueles que são membros do mesmo presbitério.
Fonte: ecclesia

9 comentários:

  1. afinal não são as gaijas?!

    ResponderEliminar
  2. Não deverão tb os padres agradar ao homem comum? Penso que se houver interajuda as coisas melhoram bastante.

    O facto de a maioria dos jovens como eu estar afastada da igreja, deve-se ao facto de muitas vezes vocês viverem só para vós e para as vossas leis e não para a realidade actual.

    Há que evoluir

    ResponderEliminar
  3. gostei das suas ideias devia existir mais gente a falar assim sem ter medo . um abraco

    ResponderEliminar
  4. gosto dos seus comentarios , fazem falta pessoas assim a igreija de todos nos , pessoas que nao tenham medo de falar. um abraco

    ResponderEliminar
  5. fazem falta pessoas assim para sacudirem a igreja.um abraco

    ResponderEliminar
  6. Tem sido com redobrado interesse que constato que tudo o que diz respeito aos"padres"merece um vivo interesse aqueles que se passeiam por este blog.Verifico que os outros temas não tanto...se o autor do blog postar muitos temas acerca dos ditos estou certo que encontro material para um doutoramento em sociologia religiosa

    ResponderEliminar
  7. um must, este último comentário... :)))

    nem me atrevo a acrescentar nada.

    ResponderEliminar
  8. É UMA REALIDADE AS TENTAÇÕES DE UM PADRE, QUE TB É HOMEM. TUDO ISTO PASSA A TODOS.
    MAIS REALIDADE SE TORNA QD AS TENTAÇÕES SÃO ULTRAPASSADAS ATRAVEZ DA ORAÇÃO, MEDITAÇÃO MAS SOBRETUDO ATRAVEZ DA AJUDA DE OUTRAS PESSOAS. UM PADRE DEVE PEDIR BONS CONSELHOS A PESSOAS COMPETENTES E, TB, CAPAZES.

    ResponderEliminar
  9. Na minha opinião deveria de ser o padre a procurar os problemas e não a olhar para ele como sendo o centro das atenções. Muitas vezes desculpam-se com a falta de tempo para não darem atenção às coisas mais simples e banais. Sou catolica, acredito em Deus, mas não nos padres.

    Cps

    ResponderEliminar